28 de fevereiro de 2015

2014/15 - 24J - Moreirense . Académica: Horário

Sexta-feira, 06 março:
Sporting de Braga - FC Porto, 20.30 horas

Sábado, 07 março:
Vitória de Setúbal - Belenenses, 19.15 horas

Domingo, 08 março:
Arouca - Benfica, 16 horas
Moreirense - Académica, 16 horas
Marítimo - Paços de Ferreira, 16 horas
Estoril - Gil Vicente, 17 horas
Boavista - Vitória de Guimarães, 19.15 horas

Segunda-feira, 09 março:
Rio Ave - Nacional, 18 horas
Sporting - Penafiel, 20 horas

27 de fevereiro de 2015

«Tenho a certeza de que vamos fazer uma grande exibição» - José Viterbo


Confiança é coisa que não falta em Coimbra. Depois da vitória (2-1) alcançada no Estoril, na ronda anterior, a Briosa prepara agora a receção ao Arouca, em jogo referente à 23.ª jornada da Lia, e que está agendada para as 16 horas do próximo domingo.

José Viterbo, o técnico que recolocou os estudantes no trilho das vitórias, espera que os seus jogadores deem continuidade ao trabalho que tem sido desenvolvido durante a semana porque, defende, a dedicação do grupo tem sido inexcedível. Como tal, a esperança em novo triunfo é inabalável:

-O que mudou foi o facto de termos mais três pontos. Temos agora mais confiança e mais alegria, mas é importante dizer que a Académica conquistou apenas três pontos no Estoril. Gostava de ver um estádio repleto de adeptos da Académica, os jogadores merecem e o apoio do público vai ser fundamental para que consigamos alcançar os nossos objetivos. Temos que jogar de forma desinibida e manter a qualidade que apresentámos na Amoreira. Tenho a certeza que vamos fazer uma grande exibição, a semana foi fantástica. Queremos voltar a vencer em casa, algo que não acontece há 11 meses. O grupo de trabalho está perfeitamente convicto que nem o que estava antes era tudo mau nem o que está agora é tudo bom. Estamos cá para travar essa euforia. Se essa mesma euforia for controlada, então isso é muito positivo. O Arouca é um adversário muito consistente, uma equipa muito equilibrada taticamente. Tem um esquema muito bem definido, com jogadores nos corredores com qualidade. É uma equipa muito homogénea. Sabemos que tem pontos fortes mas também tem os menos fortes.

José Viterbo

E se há pessoa que, por estes dias, ainda vive um verdadeiro sonho é José Viterbo. O academista de gema tem sido alvo das mais diversas homenagens, agradece todo carinho que lhe tem sido dispensado mas não deixa de pedir apoio… para os jogadores. É o que o seu futuro, diz Viterbo, não é minimamente importante nesta altura. «Eu também vou com estes jogadores até à morte. O José Viterbo é a peça menos importante neste momento. O que a Direção me disse fica entre nós. São assuntos internos. O adepto e o treinador José Viterbo está ansioso pela primeira vitória em casa. Estou super feliz por trabalhar com este grupo, é fantástico, tem-me ajudado imenso e merece o apoio de todos. Gostava de ver aqui 7,8,9 ou mil pessoas a apoiar a Académica. As manifestações de apoio são sentimentos que eu recolho com bastante satisfação, mas neste momento sou, apenas e só, o treinador interino da Académica. É uma onda de carinho que me deixa muito feliz, mas são os jogadores que jogam, que trabalham dentro do campo e que lutam pelos três pontos em cada jogo. O foco tem que ser para os jogadores. E é por isso que eu apelo aos adeptos para um apoio incondicional do primeiro ao último minuto. Esta comunhão tem que continuar a existir», concluiu.

«Não estamos à procura de treinador» - Luis Godinho

A Académica de Coimbra voltou a celebrar uma vitória na Liga colocando um ponto final num jejum que durava há praticamente cinco meses. O segundo triunfo dos estudantes no campeonato, alcançado na Amoreira diante do Estoril, aconteceu, precisamente, na semana em que estalou o chicote e Paulo Sérgio cessou funções enquanto treinador da briosa.

Para o seu lugar, a direção da Académica escolheu um homem da casa, apontado José Viterbo como «treinador interino» dos estudantes até que fosse encontrada uma solução permanente.

O comportamento da equipa diante do Estoril e a consequente saída da zona vermelha da classificação retiraram pressão aos responsáveis academistas que confirmaram a continuidade do técnico no banco de suplentes no regresso da equipa ao Estádio Cidade de Coimbra.

«Em equipa que ganha não se mexe. José Viterbo vai continuar no banco na partida frente ao Arouca. É um quadro da Académica, reconhecemos-lhe competência, como ficou demonstrado na última partida e, por isso, essa não é uma situação que nos tire o sono», garantiu o vice-presidente da Académica Luís Godinho em declarações ao Maisfutebol.

O dirigente academista gostou do que viu no jogo da Amoreira e garantiu que a cúpula diretiva dos estudantes não coloca nenhum prazo de validade no treinador.

«Não estamos à procura de treinador, não vamos contratar alguém só porque sim. O que é importante referir nesta altura é que reconhecemos competência ao José Viterbo e sua continuidade à frente da equipa não está dependente de resultados, que fique bem claro. Não lhe podemos exigir isso quando demos margem de manobra a outros treinadores. Não era justo», reforçou o dirigente, garantindo que a estrutura foca-se, agora, na planificação do futuro de forma a evitar que situações de aflição se voltem a repetir com a mesma assiduidade.


Equipa e adeptos lado a lado

O triunfo diante do Estoril teve o condão de reaproximar adeptos e equipa de futebol, uma relação que nem sempre foi fácil ao longo dos últimos meses.

Os estudantes estiveram em peso na Amoreira, receberam a equipa em apoteose e até houve um grupo que criou um movimento pedindo a continuidade de José Viterbo. Luís Godinho mostra-se satisfeito pelo apoio recebido, mas reafirma que o clube é dirigido com ponderação e tem uma estratégia clara para o futuro.

«Estamos muito satisfeito com o apoio que temos recebido dos adeptos e é muito importante nesta altura que estejamos todos unidos. Ainda assim, quero deixar bem claro que não tomamos decisões por impulso ou com base no barulho que vem do exterior. Respeitamos a posição de todos os que gostam da Académica, mas temos a nossa estratégia e sabemos o rumo que temos de seguir», rematou o dirigente.

in maisfutebol 

Académica vs Arouca: Antevisão de João Real

26 de fevereiro de 2015

José Viterbo orienta equipa frente ao Arouca

A boa exibição e o excelente resultado da Académica no Estoril não deixou ninguém indiferente. A própria Direcção, que durante a semana passada esteve em conversações para contratar um sucessor para o lugar de Paulo Sérgio, vai continuar a confiar no treinador que tão boa conta do recado deu. Por isso, será José Viterbo a orientar a equipa frente ao Arouca, partida agendada para as 16h00 do próximo domingo, e, por certo, não está excluída a possibilidade da liderança ser prolongada até ao final da época.

in diáriodecoimbra

24 de fevereiro de 2015

2014/15 - 23J - Académica - Arouca: Árbitro

Sexta-feira, 27 fevereiro

Vitória de Guimarães-Marítimo, Bruno Paixão (Setúbal)

Sábado, 28 fevereiro

Gil Vicente-Boavista, Manuel Oliveira (Porto)
Nacional-Vitória de Setúbal, Hugo Miguel (Lisboa)
Benfica-Estoril, João Capela (Lisboa)
Rio Ave-Sporting Braga, Carlos Xistra (Castelo Branco).

Domingo, 1 março

Académica-Arouca, Jorge Sousa (Porto)
Penafiel-Moreirense, Marco Ferreira (Madeira)
FC Porto-Sporting, Artur Soares Dias (Porto)

Segunda-feira, 2 março

Belenenses-Paços de Ferreira, Manuel Mota (Braga).

Euforia por Viterbo deixa direção confusa

SUCESSÃO DE PAULO SÉRGIO CONTINUA NUM IMPASSE

José Viterbo vive o momento mais marcante de uma longa caminhada enquanto treinador. Aos 52 anos, o técnico interino da Briosa apostou tudo na oportunidade que lhe foi dada após a saída de Paulo Sérgio. E começou por dar-se muito bem.

Se ainda antes da deslocação ao Estoril os ventos sopravam a favor de Viterbo, a vitória e a forma como foi obtida sobre os canarinhos (2-1) acabou com um vendaval de apoio ao experiente treinador, que leva 25 anos a treinar, 15 dos quais ao serviço da Académica. A festa começou logo no relvado, com jogadores e técnicos em perfeita comunhão com os adeptos – encheram o sector visitante do Coimbra da Mota – a darem asas à alegria que o regresso aos triunfos proporcionava. Mas foi à chegada à Academia que Viterbo pôde sentir o calor dos adeptos, que não hesitaram em considerar que, para eles, estava encontrado o sucessor certo para Paulo Sérgio.

E agora?

As certezas dos adeptos, que até lançaram uma petição pública a pedir a continuidade de Viterbo, terminam caso o líder José Eduardo Simões apresente um novo técnico, mas Record sabe que a direção não ficou indiferente à manifestação de apoio a Viterbo, sendo certo que será o interino a orientar a equipa na receção ao Arouca. Só depois disso será tomada uma decisão final.

in record 

ZÉ CASTRO "Gostava que Viterbo fosse o treinador para sempre"

Zé Castro, atualmente ao serviço dos espanhóis do Rayo Vallecano, conhece bem o atual treinador da Académica, José Viterbo.

O sucessor de Paulo Sérgio chama-se José Viterbo. Pelo menos será assim até ao jogo com o Arouca, no próximo domingo. O até agora treinador da equipa sub-23 da Briosa convenceu no primeiro teste à frente da equipa profissional dos estudantes, conduzindo-a ao triunfo por 2-1 no Estoril, que interrompeu uma série de 15 partidas consecutivas sem qualquer triunfo no campeonato.

De resto, ainda ontem foi lançada uma petição online para a continuidade do treinador, de 52 anos, que é técnico da Divisão de Desporto da Câmara Municipal de Coimbra e que há 25 anos, ininterruptamente, é treinador, 15 dos quais ao serviço do seu clube, a Académica.

Zé Castro que conhece bem o agora treinador da Briosa - durante anos a fio no emblema estudantil, em todos os escalões de formação até à equipa B, foi orientado por Viterbo -, não tem dúvidas de que o técnico "está mais do que preparado" para a função se for o eleito até ao final da temporada. "Que seja uma aposta de verdade, não só quando se ganha, porque aí é fácil. Quando as dificuldades surgirem é que é preciso apoio. Gostava que fosse para sempre o treinador da Académica. Reconheço-lhe capacidade e competência para tal", assume o central, que atua nos espanhóis do Rayo Vallecano, a O JOGO.

No entender de Zé Castro, Viterbo "sabe lidar com os jogadores" e isso "pode fazer a diferença". "É uma pessoa de bom trato, que procura ajudar os jogadores não só no aspeto desportivo, mas também noutras áreas. É uma pessoa querida, carismática e isso joga a favor dele. Além disso, é um homem da casa, que ama a Académica", concluiu o experiente futebolista.

in ojogo

Equipa da 22ª jornada com João Real e Esgaio

Equipa da 22ª jornada:

Haghighi (Penafiel), 4

Ricardo Pereira (FC Porto), 3
João Real (Académica), 4 Luisão (Benfica), 4
Esgaio (Académica), 4

Salvador Agra (Sp. Braga), 4
Pedro Santos (Sp. Braga), 4
Rúben Micael (Sp. Braga), 4
Nani (Sporting), 4

Vuletich (Arouca), 4
Guedes (Penafiel), 4

in maisfutebol 

Académica vs Arouca: Bilhetes à venda

Já se encontram à venda os bilhetes para o jogo entre a Académica e o Arouca, da 23ª jornada da Liga NOS, um encontro agendado para este domingo, dia 1 de Março, pelas 16:00, no Estádio EFAPEL Cidade de Coimbra.

A Briosa procura o regresso às vitórias em casa e todo o apoio é fundamental para que a nossa equipa conquiste os três pontos!




Os ingressos já estão à venda na Loja do Sócio, no Estádio EFAPEL Cidade de Coimbra e na Loja Oficial da Briosa, no Dolce Vita Coimbra.

Refira-se que os sócios que não são portadores de bilhete de época poderão assistir ao duelo entre a Académica e os arouquenses por 5 euros. Confira a tabela abaixo publicada onde pode consultar o preçário para o jogo da 23ª jornada!

Como já percebeu, ser Sócio da Briosa, para além de ser um orgulho, garante-lhe também vantagens enormes no que respeita às condições que lhe são proporcionadas para ver os "estudantes" em acção. Ser sócio da Académica torna tudo mais fácil e económico! Se ainda não é, não perca tempo e torne-se já hoje associado da mágica Briosa carregando aqui. Se já for sócio, mais económico ainda é adquirir o Lugar Anual 2014/2015. Para mais informações clique aqui.

Não fique em casa e apoie os "estudantes" do princípio ao fim. A sua presença é fundamental até porque a Briosa é a Paixão que nos Move!!!

Força Académica!


Confira o preço dos bilhetes (Planta virtual do Estádio):

Sócios com bilhete de época (pack 12 jogos incluído) Entrada gratuita
Sócios - Pack "Vive, Sente, Veste a tua Cor" 10 €
Sócios sem bilhete de época - bilhete pontual 5 €
Bilhete Estudante (Exclusivo para estudantes do Ensino Superior) * 2 €
Público - Bancada Norte - Zona Visitante 10 €
Público - Bancadas Centrais Inferiores 20 €
Público - Bancada Poente Superior 25 €

* Loja Ponto Já | Núcleos Estudantes | ISEC | ISCAC | ESEC

in AAC-OAF

23 de fevereiro de 2015

2014/15 - 22J - Estoril 1 - Académica 2



in AAC-OAF


in sapo videos 

2014/15 - 23J - Académica - Arouca: Bilhetes

Adeptos lançam repto ao presidente da Briosa para manter José Viterbo

“José Viterbo - o treinador que nós queremos e que a Académica precisa”. Esta é a frase de destaque na petição pública que os adeptos da Académica lançaram, com o objetivo de manter José Viterbo no comando técnico dos estudantes.

Recorde-se que, depois da saída de Paulo Sérgio, Viterbo, treinador de 52 anos responsável pela equipa B da Académica, assumiu a responsabilidade de orientar os capas negras na deslocação ao Estoril, conseguindo um importantíssima vitória por 2-1. No rescaldo dos três pontos conquistados, os adeptos da Briosa fizeram questão de se deslocarem à academia, onde saudaram efusivamente a equipa e, principalmente, Viterbo, a quem pediram que ficasse até final da temporada.

Mas, e tal como é sabido, a decisão está nas mãos da direção dos estudantes, que na última semana tem efetuado diligências no sentido de encontrar uma solução definitiva. Só que, com a onda de apoio a Viterbo, tudo pode, agora, mudar...

Eis a Petição Pública completa, que conta já com cerca de uma centena de assinantes:

Passámos largos meses de agonia e sofrimento ao ver uma equipa da Académica descaracterizada e de medíocre qualidade futebolística, colocando em risco, jogo após jogo, o nosso lugar na 1ª Divisão. 

Frente ao Estoril, recuperámos identidade, futebol e paixão. 

A receita foi simples: juntar a experiência de muitos anos de futebol à experiência de muitos anos de Académica. 

A receita tem um rosto: José Viterbo. 

Acreditamos que é, neste momento, a pessoa mais indicada para cumprir, até ao fim, a difícil missão de nos manter entre os melhores. É com ele que queremos sofrer a cada jogo. É com ele que queremos vencer. Deste modo, solicitamos à Direcção da Académica de Coimbra que mantenha no lugar certo, a pessoa certa, no momento certo.

in record 

Briosa já prepara receção ao Arouca

Poucas horas depois da importante vitória (2-1) no terreno do Estoril, o plantel da Académica regressou, na manhã desta segunda-feira, ao trabalho, numa sessão que decorreu à porta fechada na Academia do clube.

Fábio Santos (luxação no ombro direito), Aníbal Capela (fratura do perónio), Ofori (entorse num tornozelo), Ivanildo (recupera de cirurgia ao quinto metatarso do pé direito), Edgar Salli (mialgia) e Magique (rotura muscular na coxa direita) continuam entregues ao departamento médico e, por essa razão, não estiveram às ordens de José Viterbo.

Os estudantes gozam, amanhã, um dia de folga, sendo que na próxima quarta-feira, às 10 horas, de novo na Academia e também à porta fechada, continuam a preparar a receção ao Arouca, em jogo referente à 23.ª jornada da Liga e que está agendado para as 16 horas do próximo domingo.

in abola

OITO PORTUGUESES NO ONZE DIANTE DO ESTORIL: Produto nacional é aposta coimbrã

A Académica fez ontem alinhar oito jogadores portugueses de início: Cristiano, João Real, Fernando Alexandre,Ricardo Esgaio, Nuno Piloto, Marinho, Hugo Seco e Rafael Lopes foram as apostas de José Viterbo, que ainda fez entrar Rui Pedro. Não é novidade na formação coimbrã, mas é um sinal que a aposta no “produto” nacional também pode dar bons resultados.Como o de ontem, no Estoril.

in record 

BP: Esta notícia merece particular destaque. 
Não são precisas viagens ao Brasil nem visitas ao Youtube para contratar jogadores!

A raça que se viu ontem foi de amor à camisola e esse amor nasce com o jogador, conhecedor da realidade nacional e consciente da mística e valores da Briosa.

Foram 8 no onze titular e ainda que por breves minutos estiveram 9 portugueses em campo a honrarem a Académica. 

Apenas mais um motivo de orgulho. 

by BP


Adeptos recebem equipa em euforia após vitória no Estoril

Tratou-se, apenas e só, de uma vitória, é um facto, mas a verdade é que os adeptos da Briosa receberam a comitiva num clima de grande euforia, esta noite, na Academia.

Após o triunfo (2-1) no reduto do Estoril – naquela que foi a segunda vitória dos capas negras na Liga, depois de terem derrotado o Arouca (1-0), na 6.ª jornada, há quase cinco meses -, cerca de meia centena de aficionados dos estudantes saudaram os jogadores e a equipa técnica à chegada à casa-forte do clube.

José Viterbo foi muito acarinhado na chegada a Coimbra

José Viterbo, o treinador que sucedeu a Paulo Sérgio no comando técnico da Académica, foi, naturalmente, um dos mais acarinhados, sendo que, agora, é de todo legítimo pensar-se que será mesmo José Viterbo a continuar a orientar a equipa, quiçá até ao final da época.

O plantel academista volta ao trabalho já esta segunda-feira, com uma sessão marcada para as 10 horas, na Academia, à porta fechada. Aí será dado o pontapé de saída na preparação do encontro frente ao Arouca, referente à 23.ª jornada, e que está agendado para as 16 horas do próximo domingo, no Estádio Cidade de Coimbra.

«É uma alegria muito grande. Os adeptos mereciam esta vitória, tal como este grupo de jogadores, que é magnífico. Se vou continuar? Isso não sou eu que decido, é uma questão que só a Direção pode responder. Este carinho que estou a sentir engrandece-me, é por estes momentos que a Académica é um clube especial. Também eu, no passado, sofri quando as coisas não correram bem, e não peço nada para mim mas sim para os jogadores que merecem todo o apoio. Sim, já falei com o presidente. Mas a única coisa que posso dizer é que amanhã estarei cá para trabalhar», referiu José Viterbo, por entre um mar de adeptos repletos de uma alegria como há muito não se via em Coimbra.





in abola

22 de fevereiro de 2015

2014/15 - 22J - Estoril 1 - Académica 2

Académica volta a vencer na Liga, apenas pela segunda vez e deixa o último lugar da tabela classificativa!

Parabéns rapazes!

golos

8' Marinho
71' Rui Pedro (gp)

85' Bonatini
__________________________________________________________



A Académica regressou este domingo aos triunfos após vencer, na Amoreira, o Estoril por 2-1 numa partida que contou para a 22ª jornada da Liga NOS. Os "estudantes", que neste desafio foram orientados por José Viterbo, estiveram sempre por cima no encontro e mereceram, de forma incontestável, a vitória.

Apoiada por cerca de três centenas de adeptos, a Briosa marcou cedo no desafio por intermédio do inevitável Marinho. O número 7 da Académica foi lançado na cara de Kieszek e não desperdiçou a oportunidade logo ao minuto 6. Em vantagem no marcador, a Académica manteve a mesma postura e esteve por várias vezes perto de ampliar a contagem ainda nos primeiros 45 minutos.

Na etapa complementar a toada manteve-se e foi com naturalidade que a Briosa fez o 0-2. Hugo Seco foi carregado em falta dentro da área e do pénalti respectivo Rui Pedro ampliou a vantagem e conferiu ainda maior justiça no placard, perante um Estoril que praticamente não incomodou o guarda-redes Cristiano.

Na parte final, José Couceiro jogou todas as cartas e a equipa da casa ainda viria a reduzir por intermédio de Léo Bonatini, quando faltavam jogar 5 minutos. Viterbo reforçou a defesa com as entradas de Obiora e Ricardo Nascimento e a Briosa segurou os três pontos até final, despoletando a festa na bancada.

Na próxima jornada, a Académica recebe o Arouca. Força Rapazes!

nº espectadores: 1346
árbitro: Artur Soares Dias

Estoril-Académica, 1-2 (crónica)
Crónica

A Académica voltou aos triunfos, ao bater o Estoril, por 2-1, após um jejum que vinha já da sexta jornada. Foi a segunda vitória na Liga, a segunda alcançada fora de portas, e que permite aos estudantes deixarem a lanterna vermelha da classificação. O Estoril continua a série negra com quatro derrotas consecutivas. 

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. Não que no passado não tenham ficado depositados momentos de alegria que valham a pena recordar. A mudança é, simplesmente, um processo natural que marca o final de um ciclo. 

A Académica vive, por estes dias, sob esse signo, após a saída de Paulo Sérgio do comando técnico da equipa, encarando a visita à Amoreira como o primeiro jogo do resto da temporada. 

José Viterbo, academista dos sete costados, não teve tempo para escarafunchar os processos da equipa, enraizados há meses e meses. Traçou prioridades e os jogadores responderam. De tal forma que antes dos dez minutos já estavam a ganhar. 

Autoria de Marinho, um dos históricos do clube nos últimos anos que passou grande parte da temporada sentado no banco, sentindo que se devia chegar à frente. E foi isso que fez: meteu a quarta, ultrapassou os defensores do Estoril e marcou para a Briosa. 

O golo madrugador teve o condão de abanar (ainda mais) os canarinhos, que traziam às costas uma série de três derrotas consecutivas, e, mesmo perante o seu público não conseguiam responder. 

A certa altura chegou a causar apreensão uma equipa recheada de jogadores com qualidade acima da média não conseguir ligar uma jogada com princípio, meio e fim. 

Alheios a tudo isso, os Estudantes aproveitaram o espaço concedido, continuaram a ser assertivos, e, não fosse Kakuba a formar uma parede à frente da baliza de Kieszek, o cenário ter-se-ia agravado. 

Cheirinho de Estoril 

Foi já depois da meia hora que se viu o primeiro sinal do Estoril, com uma finalização acrobática de Diogo Amado na área a tirar tinta ao poste das redes estudantes. 
Mas passou rapidamente. A primeira parte termina com um déjà-vu em que Rúben Fernandes voltou a fechar a porta a um remate de Hugo Seco que levava selo de golo. 
Era a primeira oportunidade para deixar o adversário knock-out, mas o Estoril conseguiu sair vivo da primeira parte, embora os sinais deixados não aconselhassem otimismos desmesurados. 
  
Final emocionante 

José Couceiro reagiu ao intervalo e ajustou a equipa, que respondeu quase de imediato, novamente com o mesmo protagonista: Diogo Amado. Os centrais academistas deixaram a bola viva no coração da área e o médio formado no Sporting encheu pé, mas a bola morreu nas mãos de Cristiano. 

Parecia ser um sinal de que o jogo iria virar o avesso e a Académica chegou a ter mesmo várias dificuldades para respirar. 

Mas quando se está com a maré tudo corre bem. Numa das primeiras vezes em que passou o meio campo, Hugo Seco aproveitou novo erro de Yohan Tavares para ganhar uma grande penalidade que culminou com o segundo golo dos estudantes. 

O melhor que o Estoril conseguiu, com tudo metido lá na frente, foi reduzir por Léo Bonatini, mas não houve tempo para mais, averbando na Amoreira a quarta derrota consecutiva o que gerou uma enorme onda de contestação nas bancadas. 

Na semana em que estalou o chicote, a Académica regressou aos triunfos que escapavam desde a longínqua sexta jornada. Segunda vitória na Liga, segunda alcançada fora de portas. 

O Estoril que estava bem seguro até há umas semanas, parece em queda livre, enquanto a Académica vai para o terceiro jogo consecutivo sem perder. Caso para dizer: mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. 

 Destaques

O Momento:   
O grito do capitão: O jogo tinha começado há menos de dez minutos e Marinho encarnou bem a missão de sacrifício da Académica. Aproveitou um equívoco de Yohan Tavares, ligou o turbo e, na cara de Kieszek, quebrou o jejum da Académica de mais de 180 minutos sem marcar. O golo do extremo atómico da Académica teve o condão da iniciar o regresso às vitórias que fugia desde a sexta jornada.

A figura
Marinho 
O pequeno avançado da Académica de Coimbra não se atemorizou perante gente grande (os centrais do Estoril) e arrancou determinado. A bola só parou na funda da baliza do Estoril e a Académica voltava a festejar um golo dois jogos depois. Devido à estratégia traçada por José Viterbo, não se viu muito de Marinho no processo ofensivo, mas o capitão da briosa foi, ainda, fundamental, na hora de cerrar fileiras e bloquear os caminhos para a sua área.

Estoril-Académia, 1-2 (destaques)

O positivo 
A estratégia da Académica: José Viterbo foi pragmático e assumiu que só com uma estratégia cautelosa podia levar pontos da Amoreira. Equilibrou a equipa tática e emocionalmente, conseguindo com que os estudantes estivessem grande parte do jogo confortáveis. A viagem á Linha pode muito bem ter sido o primeiro dia do resto da vida da Académica.

O negativo 
A primeira meia hora do Estoril: A série de três derrotas consecutivas parecia ter deixado cicatrizes profundas nos jogadores do Estoril. Inúmeros passes trasviados, uma soma preocupante de erros primários, ocupação deficiente dos espaços e os primeiros assobios começaram, naturalmente, a surgir vindos das bancadas. A cada minuto a bola parecia queimar ainda mais nos pés e os canarinhos fizeram 30 minutos sem um remate digno de registo à baliza de Cristiano.

Outros destaques
Ricardo Esgaio 
Meteu, literalmente, Sebá no bolso numa atuação concentrada e pautada pelo rigor. Rápido a ler os lances funcionou com uma espécie de pronto socorro acorrendo a tudo o que era lance pelo seu flanco. Pouco interventivo no processo ofensivo, mas essa também não era a sua prioridade. Mesmo deslocado para o flanco contrário mostrou maturidade dando o corpo ao manifesto.

Yohan Tavares 
É um dos bons jogadores do Estoril, mas esteve num daqueles dias em que não devia ter saído de casa. Fica ligado ao resultado por dois erros que custaram o jogo à equipa orientada por José Couceiro. Primeiro com uma má abordagem que termina no golo de Marinho e, mais tarde, ao travar Hugo Seco na área para a grande penalidade convertida por Rui Pedro. O futebol é cruel e muitas vezes esquece tudo o que de bom está para trás. O central teve, apenas, um dia mau.

Hugo Seco 
O jogador que a Académica foi ao Benfica de Castelo Branco foi um verdadeiro quebra-cabeças para o último reduto estorilista. Uma autêntica flexa apontada ao meio campo adversário, que tem o mérito de colocar uma pedra sobre ao jogo em ganhar o duelo com Yohan Tavares que culminou na grande penalidade convertida por Rui Pedro.

Opiniões

José Viterbo, treinador interino da Académica de Coimbra, comentou, desta forma, a vitória dos estudantes diante do Estoril (2-1), em partida da 22.ª jornada da Liga Portuguesa: 

«Queria começar por direcionar esta vitória ao Paulo Sérgio, a um conjunto de jogadores fantásticos que deram uma prova cabal de grande caracter e a uma massa associativa que nos ajudou a conquistar os três pontos». 

«A equipa foi muito organizada. Tentámos jogar com linhas curtas para não deixar o Estoril jogar entre linhas. O Estoril é forte no corredor central, mas também nos corredores laterais na zona do Sebá». 

«Anulámos isso com marcações quase diretas.Os centrais foram enormes na forma como protegeram a baliza da Académica». 

«Saímos sempre em transições apoiadas, soubemos quando tinha de jogar longo ou curto. A Académica fez uma atuação muito inteligente, um jogo muito seguro». 

José Couceiro apareceu na sala de imprensa do Estádio António Coimbra da Mota mais de uma hora depois do final da partida com uma expressão carrega, triste e revoltada com a derrota a que acabara de assistir. 

Das bancadas choveram lenços brancos e a contestação fui subindo de tom à medida que os minutos foram passando. Couceiro não está agarrado ao lugar e acredita que continua a fazer parte da solução. 

«Se em algum momento se considerar que a solução dos problemas do Estoril passa pelo treinador e pela equipa técnica, no mesmo momento a solução está encontrada. Sempre foi assim e continuo quando faço parte da solução», começou por dizer o técnico antes de se referir às manifestações de descontentamento que brotaram das bancadas. 

«Há uma tristeza pela derrota, mas outra coisa são insultos. Nós temos de estar preparados, estou concentrado no jogo, mas senti que ninguém está contente. Temos de perceber os objectivos que temos, a capacidade que temos, e o que temos de fazer, mas claro que ninguém fica contente quando perde», reforçou. 

Num dia em que o Estoril sofreu a quarta derrota consecutiva para a Liga, José Couceiro analisou todo o projeto que o trouxe para a Amoreira, considerando que têm de ser pesados todos os aspetos antes de se partir para julgamentos sumários. 

«Podíamos estar melhor, não somos ingénuos. Mas reparem: o primeiro objectivo é a permanência e apesar desta série não é isso que está em causa. Por outro lado, obviamente não se pode querer o melhor de dois mundos: formar jogadores, transferi-los para receber dinheiro e termos a componente desportiva. Há um equilíbrio que temos de encontrar. Os adeptos não estão mais tristes do que eu», rematou.


Ao Minuto

90'A Académica alcança a segunda vitória na Liga após um jejum que vinha da sexta jornada. A Académica soma o quarto jogo consecutivo a perder. Os golos da Briosa foram apontados por Marinho e Rui Pedro, Bonatini reduziu para os canarinhos
90'FIM DO Estoril, (1) - Académica, (2)
90'Golo anulado ao Estoril por fora de jogo
89'Entra Ricardo Nascimento (Académica)
89'Sai Marinho (Académica)
88'Cartão amarelo para N. Obiora. Por falta sobre Tijane
85'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Léo Bonatini.
Anderson Luís Cruza, Sebá cabeceia e à segunda Bonatini reduz para o Estoril
83'Entra Tijane (Estoril)
83'Sai A. Kakuba (Estoril)
80'Entra N. Obiora (Académica)
80'Sai Hugo Seco (Académica)
76'AO LADO! Rafael Lopes, na cabeça da área, dispara, mas a bola desvia num defensor estorilista e sai ao lado.
71'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO (penálti) de Rui Pedro.
71'Cartão amarelo para Yohan Tavares.
71'Por travar Hugo Seco na área
69'Cartão amarelo para Anderson Luis. Por falta sobre Marinho
67'Entra Léo Bonatini (Estoril)
67'Sai A. Esiti (Estoril)
63'Jogo está interrompido para assistência ao guarda-redes da Académica Cristiano
61'Entra Rui Pedro (Académica)
61'Sai Marcos Paulo (Académica)
60'IAGO! Canto cobrado por Tozé e o defesa brasileiro a tirar o pão da boca a Yohan Tavares
57'CRISTIANO NAS ALTURAS! O guarda-redes da Académica volta a sair a um cruzamento largo e, à segunda, agarra a bola
54'CRISTIANO! Os defensores da Académica deixaram a bola viva dentro da área e Diogo Amado encheu o pé. A bola levou a direção de Cristiano que agarrou
54'ESTORIL. Livre cobrado por Tozé com corte da defensiva estudante.
53'Cartão amarelo para Marcos Paulo. Por falta sobre Kakuba
47'ESTORIL. Cruzamento largo para a área, à procura de Kléber, e Cristiano a afastar de forma deficiente
46'Começou a Académica
46'Recomeça o Estoril - Académica
45'Sai Fernandinho (Estoril)
45'Entra M. Cabrera (Estoril)
45'A Académica vai para o intervalo a vencer, por uma bola a zero, e os adeptos estorilistas fizeram questão de demonstrar apreensão com a exibição da equipa.
45'Intervalo no Estoril - Académica
43'CRISTIANO! Lançamento longo para Kléber com o guarda-redes a ler bem o lance e a segurar
41'RÚBEN OUTRA VEZ! Cruzamento para área e o defesa a tirar o pão da boca a Rafael Lopes.
40'RÚBEN FERNANDES SALVA! Hugo Seco encheu o pé e atirou para a baliza, valendo o defesa a bloquear a bola antes desta chegar à baliza
37'KIESZEK! Remate de meia distância de Marcos Paulo para defesa apertada do guardião polaco
36'ESTORIL! Primeiro ameaço do Estoril. Jogada entre Kléber e Anderson Luís termina com um remate de Diogo Amado rente ao poste da baliza de Cristiano
32'AO LADO! Sabá ganha sobre Esgaio e foca-se na baliza. O remate do brasileiro saiu, contudo, muito torto
26'IAGO! Cruzamento de Kakuba e o defensor dos estudantes a tirar a bola da cabeça de Kléber
20'A Académica está confortável sem bola e explora a velocidade nas costas de defensiva canarinha
18'KAKUBA SALVADOR! A bola chega a Hugo Seco que ganha em velocidade à defensiva do Estoril, valendo o lateral esquerdo a afastar a bola quando o estudante se preparava para rematar
15'O Estoril tenta, agora, correr atrás do prejuízo, mas sem ideias para já
11'Cartão amarelo para Kléber. Por uma entrada fora de tempo sobre Iago Santos
9'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Marinho.
Erro de Yohan Tavares na abordagem ao lance, Marinho ganha o ressalto, caminha para baliza e inaugura o marcador.
5'Primeiro ataque da Briosa. O jogo começa com ritmo elevado
3'PERIGO! Tozé descobre Kléber na área, o brasileiro roda e valeu João Real a fazer uma parede à frente da baliza estudante
2'SEBÁ! O brasileiro ganha a linha de fundo e cruza para as mãos de Cristiano
1'Começa o Estoril - Académica
0'Entram os artistas. Está para breve o pontapé de saída
0'As três equipas já recolheram aos balneários. Está para breve o início da partida
0'As duas equipas já cumprem os habituais exercícios de aquecimento no relvado
0'O Estoril já foi anfitrião da Académica em 18 ocasiões, tendo vencido nove. Os academistas ganharam cinco, registando-se quatro empates.
0'Já José Viterbo teve de deixar em Coimbra Salli, Magique, Ivanildo, Ofori e Fábio Santos, lesionados, e ainda Cissé a cumprir castigo
0'Para esta partida José Couceiro não pode contar com Bruno Nascimento, Balboa e Arthuro, todos lesionados
0'Os guarda-redes das duas equipas já aquecem no relvado do António Coimbra da Mota
0'A equipa de arbitragem é chefiada por Artur Soares Dias, com os auxiliares Rui Licínio e João Silva. Tiago Martins é o 4.º árbitro
0'José Viterbo pode lançar no decorrer da partida Lee, Obiora, Ricardo Nascimento, Olascuaga, Diallo, Rui Pedro e Aderlan
0'No banco de suplentes José Couceiro tem Vagner, Bruno Miguel, Afonso Taira, Mano, Matías Cabrera, Tijane e Léo Bonatini
0'ACADÉMICA: Cristiano, Ricardo Esgaio, João Real, Iago e Oualembo; Fernando Alexandre, Nuno Piloto e Marcos Paulo; Marinho, Rafael Lopes e Hugo Seco
0'ESTORIL: Kieszek, Anderson Luís, Yohan Tavares, Rúben Fernandes e Kakuba; Anderson Esiti, Diogo Amado e Tozé; Fernandinho, Kléber e Sebá
0'JÁ HÁ EQUIPAS!
0'As duas equipas estão separadas por dez pontos na tabela classificativa
0'Esta partida regista, também, o primeiro jogo dos estudantes após a saída de Paulo Sérgio. José Viterbo será o responsável técnico pela equipa esta tarde na Amoreira
0'A Académica está numa situação mais complicada, ocupando o último lugar da tabela classificativa, e não celebra qualquer triunfo desde a sexta jornada
0'O Estoril vem de uma série de três derrotas consecutivas e não vence desde a receção ao Arouca em jogo referente à 18.ª jornada
0'O apito inicial de Artur Soares Dias está marcado para as 17:00 horas
0'Boa tarde, o Maisfutebol já está no António Coimbra da Mota para o Estoril-Académica da 22.ª jornada da I Liga
Acompanhe aqui o AO MINUTO deste jogo dia 22 Fev 2015 às 17:00



Estatísticas



in AAC-OAF e maisfutebol 

Estoril - Académica (antevisão): vitórias para que vos quero

O momento:

ESTORIL: Três derrotas consecutivas tiveram como consequência imediata a queda desamparada na tabela classificativa, estando o Estoril, à entrada para esta jornada, estacionado na 12.ª posição da classificação. Voltar ao António Coimbra da Mota significa, ainda assim, regressar a último lugar onde os canarinhos foram felizes, diante do Arouca, em partida referente à 18.ª jornada. Coincidência, ou talvez não, o mau momento em termos de resultados coincide com a lesão de Kléber, referência ofensiva da equipa.

ACADÉMICA: Se do outro lado está uma equipa que não vence há quatro jornadas, os estudantes têm neste capítulo um cenário negro: nas 22 jornadas disputadas só por uma vez festejaram os três pontos. O ponto mais alto da carreira academista ficou depositado na longínqua sexta jornada, na deslocação a Arouca. A campanha aquém das expectativas fez estalar o chicote e a visita à Amoreira será a primeira partida pós-Paulo Sérgio. Ou, por outras palavras, o primeiro jogo do resta da temporada alvinegra.


Principais ausências:

ESTORIL: Bruno Nascimento, Balboa, Arthuro e Kléber (lesionados)

ACADÉMICA: Salli, Magique, Ivanildo, Ofori e Fábio Santos (lesionados); Cissé (castigado)

Discurso direto:

JOSÉ COUCEIRO: «A Académica tem qualidade para ter mais pontos e a classificação não reflete o valor individual dos seus jogadores. A mudança de treinador vai fazer com que a equipa esteja mais unida e que queira dar uma boa resposta. Não haverá facilidades e teremos de ter a máxima concentração para defrontar a Académica».

JOSÉ VITERBO: «Encontrei um grupo com uma vontade enorme de vencer, de fazer bem as coisas e, acima de tudo, de conquistar os três pontos para os oferecer a Paulo Sérgio, que fez um trabalho exemplar e é um profissional de mão cheia, mas que lhe faltou um bocadinho de sorte».

Histórico de confrontos:

O Estoril já foi anfitrião da Académica em 18 ocasiões, tendo vencido precisamente metade dos confrontos diante dos estudantes (9). Os academistas regressaram à ‘Capital do Conhecimento’ com a vitória na bagagem em cinco ocasiões, registando-se quatro empates nas restantes partidas.

Equipas prováveis:

ESTORIL:


Outros convocados: a lista de convocados só é divulgada na manhã de segunda-feira.

ACADÉMICA






Outros convocados: Lee, Oualembo, Aderlan, Obiora, Rui Pedro, Pedro Nuno, Olascuaga, Diallo.

in maisfutebol

Estoril vs Académica: Lista de convocados

A Académica cumpriu este sábado a derradeira sessão de trabalho tendo em vista o jogo frente ao Estoril, que conta para a 22ª jornada da Liga NOS.

José Viterbo orientou a sessão de trabalho na Academia Dolce Vita. 


Após a sessão, o treinador da Académica divulgou a lista de convocados para o jogo frente aos canarinhos. Consulte os nomes que vão a jogo! A lista contempla 19 jogadores:

Guarda-redes: 1- Cristiano; 32 - Lee;

Defesas: 5- Ricardo Nascimento; 13- João Real; 14- Iago; 22- Oualembo; 29- Aderlan; 47- Ricardo Esgaio;

Médios: 4- Obiora; 20- Rui Pedro; 21- Marcos Paulo; 27- Pedro Nuno; 28- Nuno Piloto; 65- Fernando Alexandre;

Avançados: 7- Marinho; 17- Olascuaga; 19- Diallo; 30- Rafael Lopes; 77- Hugo Seco.

in AAC-OAF

Estoril vs Académica: Antevisão de José Viterbo (vídeo)



in AAC-OAF
_________________________________________________________________________________

José Viterbo: «É um momento de sonho»

Um momento marcante na carreira e… na vida. Assim define José Viterbo, técnico interino da Académica, o jogo que deste domingo, onde irá orientar os capas negras na deslocação ao terreno do Estoril, depois da saída de Paulo Sérgio.

«É um momento de sonho. Tenho 25 anos consecutivos como treinador, 15 deles são na Académica. É um momento que marca claramente a minha carreira e a minha vida. Além de treinador, fui sempre um adepto da Académica, que é o meu único clube. É uma forma de vida”, começou por defender o técnico, desvendando, depois, os pedidos que a direção da Briosa lhe fez:

“O que me pediram foi preparar a equipa para o Estoril. Depois disso, a direção tem toda a legitimidade para optar pela solução que entender.”

Para além de admitir que será um jogo difícil, mas no qual o pensamento está centrado apenas na vitória, Viterbo convocou também os adeptos.

“Terão de empurrar a equipa para a vitória. A Académica tem uma massa adepta fantástica. Deixo aqui um apelo fraterno para que acompanhem a equipa e apoiem do primeiro ao último minuto”, pediu.

in record 

21 de fevereiro de 2015

Lito confirma contacto "indireto" da Académica

TÉCNICO E A SUCESSÃO NA EQUIPA DA BRIOSA

Lito Vidigal, treinador do Belenenses, confirmou ontem à TVI que foi sondado para treinar a Académica, depois da saída de Paulo Sérgio.

“Diretamente não fui contactado; indiretamente fui, mas não interessa falar sobre isso”, disse. O técnico falou também das notícias sobre a possibilidade de Sá Pinto lhe suceder: “Se eu não ficar no Beleneneses e for ele, desejo-lhe sorte.”

in record 

20 de fevereiro de 2015

Fernando Alexandre: «Queremos ir ao Estoril discutir o jogo»

Fernando Alexandre é um dos capitães da Académica e numa altura conturbada da vida do clube foi ele mesmo a surgir como porta-voz na véspera da 22.ª jornada da Liga NOS. Antecipando a deslocação à Amoreira, o camisola 65 garantiu que todos estão a trabalhar «com o maior afinco e determinação» para encontrar finalmente «a sorte».

«Vai ser um jogo difícil, que está a ser preparado da melhor forma possível com as pessoas que agora estão connosco, após a saída do treinador. Estamos a trabalhar com o maior afinco e determinação e queremos ir ao Estoril discutir o jogo. Reconhecemos valor ao adversário, mas o nosso caminho é o de trabalhar, até porque precisamos dos três pontos», começou por dizer o médio, citado no jornal A Bola.


«Temos de continuar a acreditar e sabemos que muito depende do que fizermos. O importante é que não estejamos na última jornada na posição em que estamos hoje», prosseguiu, aludindo ao incómodo 17.º posto da tabela.

Por esse facto saiu Paulo Sérgio, subiu ao leme José Viterbo. Fernando Alexandre lamenta a saída do treinador, mas apoia o novo líder.

«Paulo Sérgio? Saiu alguém que deu tudo por nós e tenho a certeza que deu o melhor de si, fez tudo o que podia. Foi um ciclo que se fechou e agora temos que continuar em busca da nossa sorte. Surpresa ou não, acreditávamos ser possível manter-nos com o Paulo Sérgio, acreditávamos no seu trabalho e nas suas ideias», vincou o centrocampista, antes de se referir ao atual comandante.

«O que o mister Viterbo nos tem passado é a ideia de que há qualidade no nosso grupo e havendo trabalho e um bocadinho de sorte as coisas podem acontecer. No fundo, o discurso não diverge muito. Acreditamos num resultado positivo no Estoril. Sabemos que, quando sai um treinador, chega sempre algo de novo», constatou.

O que se mantém, assegura Fernando Alexandre, é a capacidade de lutar contra as adversidades. «A mim, enquanto um dos capitães, compete-me trabalhar seja com que líder for. Com quem quer que seja vou dar o máximo pelo clube que represento. O maior exemplo que pode ser dado, não só pelo capitão mas pelo homem, é o trabalhar sempre da mesma maneira, independentemente do treinador. Estamos conscientes da nossa realidade, obviamente, mas sabemos que é com a maior dedicação que vamos ultrapassar esta fase», atirou um dos líderes da briosa, pedindo «entrega total» aos colegas.

«A crença terá de continuar entre nós», rematou.

in zerozero 

2014/15 - 22J - Estoril - Académica: Bilhetes

Assembleia Geral: reportagem

João Paulo Mendes, o sócio que fez questão de propor a moção de censura a José Eduardo Simões


by noticiasdecoimbra.pt

outras intervenções na assembleia geral podem ser vistos aqui: facebook noticias de Coimbra

Direcção da Briosa oferece bilhetes para jogo frente ao Estoril

À semelhança dos encontros anteriores, a Direcção da AAC/OAF vai oferecer bilhetes para o jogo frente ao Estoril aos primeiros 25 associados que se apresentarem a partir desta quinta-feira na Loja do Sócio, situada no Estádio EFAPEL Cidade de Coimbra, e até às 18:00 de sexta.

Com esta medida, a Briosa pretende garantir o máximo apoio para o jogo deste domingo (17:00) no Estádio António Coimbra da Mota, que conta para a 22ª jornada.


A oferta é válida para todos os sócios da Académica com quotas em dia e que se apresentem munidos do indispensável cartão de associado. Cada sócio pode levantar um bilhete. Recordamos que esta oportunidade está limitada aos primeiro 25!

Restantes bilhetes custam 10 euros 

Caso não seja um dos 25 associados que terá direito a bilhete gratuito, pode adquirir ingressos para a zona do Estádio destinada aos adeptos da Briosa. Os bilhetes custam 10 euros e estão à venda na Loja do Sócio, no Estádio, e na Sede Mancha Negra, no Pavilhão Eng. Jorge Anjinho.

Todos ao Estoril! Força Rapazes! 

Casa da Académica em Lisboa também vende bilhetes 
À semelhança dos encontros anteriores na região de Lisboa, a Casa da Académica da capital portuguesa irá colocar à disposição bilhetes para o jogo para os adeptos da Académica. Os ingressos têm um preço de 10,0 € (dez euros).

Neste caso, todos os bilhetes deverão ser reservados através do email casa.academica.lisboa@sapo.pt ou através do contacto 91 819 80 08 (Francisco Martinho).

«A condenação de que fui alvo é uma injustiça» - José Eduardo Simões

Mais de quatro horas depois do início da Assembleia Geral (AG), chegou, finalmente, a hora de José Eduardo Simões falar. O presidente da Académica, que além do processo de condenação de que foi alvo, viu-se, esta noite, a contas com uma moção de censura aprovada na AG, não pestanejou na hora de clamar inocência.

- Um inocente pode ser condenado e muitos culpados podem ser absolvidos. Ninguém sabe o que eu fiz ou não fiz. Nem quem investigou nem quem julgou, só eu sei. Estou aqui de cara completamente lavada, com orgulho. Esta condenação de que fui alvo é uma injustiça. Moção de censura? Vamos fazer as ponderações habituais face à vontade dos sócios. Não só os que votaram nesta moção como a de todos os outros que não estiveram aqui presentes.

O discurso de Simões estava a ser proferido debaixo de um silêncio sepulcral até que, de repente, algumas dezenas de sócios abandonaram o auditório do Estádio Cidade de Coimbra. 

«Se alguém nesta sala fosse investigado como eu fui, tenho as mais sérias dúvidas de que fossem muitos os que escapariam a uma condenação…», afirmou José Eduardo Simões. 

Já à margem dos trabalhos da reunião magna, Alfredo Castanheira Neves, presidente da Mesa da Assembleia Geral, teceu alguns considerandos sobre a participação dos sócios na importante reunião desta noite. 

«Foi mais uma prova de que a Académica está bem viva, os sócios estão muito interessados na vida do clube. É uma instituição de sócios onde os valores matriciais voltaram a ser projetados. Os sócios entenderam votar a favor da moção de censura contra o presidente em exercício. O senhor presidente da Direção anunciou que vai refletir, tal como eu o farei. Vamos aguardar..., concluiu.

in abola 

Sócios da Académica censuram Eduardo Simões

Os sócios da Académica aprovaram, em Assembleia Geral, uma moção de censura ao presidente José Eduardo Simões.
Na base desta decisão a conduta do dirigente no processo em que foi condenado por corrupção passiva e abuso de poder.

Sócios da Académica censuram Eduardo Simões

A moção, subscrita por vários sócios, foi aprovada com 155 votos a favor, 53 contra e 16 abstenções, numa das mais concorridas reuniões dos últimos anos, que durou cerca de quatro horas e meia, com alguns momentos de agitação.

A censura resulta "do trânsito em julgado do acórdão que o condenou pela prática dos crimes de corrupção passiva e abuso de poder e à Académica no pagamento ao Estado de 200 mil euros obtidos por via da prática do crime de corrupção".

José Eduardo Simões foi condenado, em abril de 2013, a pagar 100 mil euros de donativos a dividir por duas instituições de solidariedade social e a uma pena suspensa de 15 meses de prisão, por um crime de corrupção passiva e abuso de poder, quando simultaneamente era diretor de urbanismo da Câmara Municipal de Coimbra e presidente da Académica.

O arguido recorreu da sentença do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) para o Tribunal Constitucional, sem sucesso, tendo o acórdão transitado em julgado em setembro de 2014.

A Assembleia-Geral Extraordinária de quinta-feira à noite, que já terminou na madrugada de hoje, foi requerida por cerca de uma centena de sócios para analisar "as implicações institucionais, jurídicas, patrimoniais e disciplinares, derivados do trânsito em julgado do acórdão reportado ao processo judicial" em que foi visado José Eduardo Simões.

Os subscritores da moção aprovada consideram que a prática dos crimes conflitua com os valores, a história, o bom nome e o prestígio da "briosa", causando-lhe simultaneamente prejuízo económico.

"Estou aqui de cara lavada, com orgulho, sei aquilo que fiz e o que não fiz, e hei-de proclamar-me inocente face a esta injusta condenação de que foi alvo", disse José Eduardo Simões, numa curta intervenção, a última da reunião magna, em que prometeu fazer "as ponderações habituais".

O dirigente disse ainda: Se "alguém desta sala fosse investigado como fui, tenho as mais sérias dúvidas de que fossem muitos os que escapariam a uma condenação", motivando a revolta de alguns sócios, que saíram da sala nessa altura.

No início da reunião, o presidente da Mesa da Assembleia-Geral, Castanheira Neves, tornou público um parecer solicitado ao especialista em direito desportivo Leal Amado, da Universidade de Coimbra, que considera não existir qualquer incompatibilidade entre o trânsito em julgado da condenação e a continuidade na presidência do clube.

in rtp 

19 de fevereiro de 2015

2014/15 - 22J - Estoril - Académica: Lesionado e castigados

ESTORIL
Convocados:-
Lesionados: Bruno Nascimento, Balboa e Kléber
Castigados: -

ACADÉMICA
Convocados:-
Lesionados: Ricardo Nascimento, Salli, Magique, Ivanildo, Ofori e Fábio Santos
Castigados: Cissé (castigado por um jogo após expulsão frente ao Boavista)

2014/15 - 23J: Académica - Arouca: Horário

JORNADA 23
V. GUIMARÃES27/FEV
20H30
SPORTTV
MARÍTIMO
GIL VICENTE28/FEV
16H00
BOAVISTA
NACIONAL28/FEV
16H00
V. SETÚBAL
BENFICA28/FEV
17H00
BENFICA TV
ESTORIL
RIO AVE28/FEV
20H15
SPORTTV
BRAGA
ACADÉMICA01/MAR
16H00
AROUCA
PENAFIEL01/MAR
16H00
MOREIRENSE
PORTO01/MAR
19H15
SPORTTV
SPORTING
BELENENSES02/MAR
20H00
SPORTTV
P. FERREIRA

Viterbo no banco frente ao Estoril



Clube continua sem contratar treinador para o lugar de Paulo Sérgio e será o dos sub-23 a comandar no Estoril.

A Académica ainda não anunciou o sucessor de Paulo Sérgio, o que significa que ganha cada vez mais força a possibilidade de José Viterbo orientar a equipa no domingo, frente ao Estoril, ele que quarta-feira orientou mais um treino, no qual contou com quatro elementos da equipa de sub-23: o guarda-redes Lionel, os defesas Neves e Marcelo e o médio Fábio Pedro.

Entretanto, um dos nomes abordados para suceder a Paulo Sérgio foi o de Miguel Cardoso, atualmente no Shakhtar (Ucrânia). Contactado por O JOGO, o treinador, que deixou boa imagem em Coimbra quando ali trabalhou na equipa técnica liderada por Domingos Paciência, em 2007/08 e 2008/09, limitou-se apenas a dizer que tem contrato com o emblema de Donetsk até ao final da época desportiva.

in ojogo

18 de fevereiro de 2015

Briosa prepara Estoril sob a orientação de José Viterbo

A Académica continuou esta quarta-feira, sob a orientação de José Viterbo, a preparar a deslocação ao reduto do Estoril.

O encontro frente aos canarinhos, recorde-se, está agendado para este domingo, pelas 17:00, no Estádio António Coimbra da Mota.

   
José Viterbo e a sua equipa técnica, composta por João Gabriel, Miguel Valério, Luís Valadas, Hélder Carvalho, Hugo Pinto e Vítor Ferreira, orientaram novamente a sessão de trabalho desta quarta-feira.

Força Rapazes!

2014/15 - 22J - Estoril - Académica: Arbitro

Árbitros da 22ª jornada:

Sexta-feira, 20 fevereiro:
P. Ferreira-V. Guimarães, Cosme Machado (Braga)

Sábado, 21 fevereiro:
Sp. Braga-Nacional, Bruno Esteves (Setúbal)
V. Setúbal-Penafiel, Rui Piteira Rodrigues (Lisboa)
Moreirense-Benfica, Jorge Ferreira (Braga)

Domingo, 22 fevereiro:
Arouca-Rio Ave, Rui Costa (Porto)
Marítimo-Belenenses, Vasco Santos (Porto)
Estoril-Académica, Artur Soares Dias (Porto) 
Sporting-Gil Vicente, Jorge Tavares (Aveiro)

Segunda-feira, 23 fevereiro:
Boavista-FC Porto, Hugo Miguel (Lisboa)

Treinos

No primeiro treino sem Paulo Sérgio, o principal ausente acabou por ser Ricardo Nascimento.

O defesa brasileiro está a contas com uma mialgia e junta-se, assim, a Fábio Santos, Aníbal Capela, Ofori, Ivanildo, Edgar Salli e Magique no lote de lesionados.

A sessão, que decorreu à porta fecha na Academia do clube, foi orientada por José Viterbo, treinador dos sub-23 da Briosa, que está agora encarregue de fazer a transição até à chegada do novo treinador. O sucessor de Paulo Sérgio no comando técnico dos estudantes ainda não está encontrado, pelo que este capítulo só deverá ter novos desenvolvimentos durante o dia desta quarta-feira.

in abola 

Novo treinador: Costinha no topo das preferências, mas recusou !

EX-INTERNACIONAL GANHOU FORÇA JUNTO DA DIREÇÃO


 photo costinha.jpg

in record

actualização

Costinha foi sondado para suceder a Paulo Sérgio mas recusou assumir o comando técnico da Académica. O treinador português era visto como tendo as características necessárias para assumir o projeto mas essa intenção acabou por não se concretizar, estando a direção já à procura de alternativas.

Costinha pretende regressar ao ativo mas isso só sucederá na próxima temporada e em princípio num clube estrangeiro.

in record 

Direcção da AAC/OAF deixa palavra de agradecimento a Paulo Sérgio

Direcção da AAC/OAF deixa palavra de agradecimento a Paulo Sérgio

O Vice-Presidente da Direcção da AAC/OAF, Luis Godinho, responsável pelo Futebol Profissional, deixou uma palavra de agradecimento ao treinador Paulo Sérgio, que hoje se despediu do clube.

O dirigente marcou presença ao lado do técnico na conferência de imprensa realizada na Academia Dolce Vita.

  







  
Paulo Sérgio: "Foi um privilégio treinar a Académica" (aúdio)

Paulo Sérgio esteve esta terça-feira na Academia Dolce Vita para se despedir do grupo de trabalho.

O ex-técnico da Briosa falou aos jornalistas numa conferência de imprensa promovida pela Direcção da AAC/OAF, numa clara prova de que a Académica é uma Instituição singular, caracterizada por uma forma muito própria de estar no futebol. 



in AAC-OAF


Paulo Sérgio despediu-se esta terça-feira dos adeptos da Académica, esta terça-feira, numa conferência de imprensa realizada no Estádio Cidade de Coimbra. 

«Assumo as minhas responsabilidades pelo insucesso desportivo. Sublinho, uma vez mais, que nunca estive agarrado a um segundo ano de contrato. Não saí antes porque sentia confiança, mas a verdade é que os jogos continuaram e não conseguimos vitórias. A Académica precisa de resultados e eu também entendo que era o momento de tentar algo diferente», disse o técnico. 

O treinador fez um balanço destes meses no comando dos Estudantes. «É certo que tivemos apenas uma vitória na Liga, mas também não é menos verdade que tivemos 12 empates e que, em grande parte desses jogos, tivemos tudo para vencer. Tivemos muitos jogadores a chegar já com a primeira jornada à porta, muitos jogadores jovens e inexperientes, o que nos penalizou de início. Hoje a equipa está muito mais consistente defensivamente. Em termos ofensivos tivemos alguns revés em janeiro, algo que nos prejudicou», frisou, desejando sorte ao seu sucessor. 

«O que mais desejo à Académica é que quem vier para o meu lugar tenha o maior sucesso. Há que efetuar esta mudança e apoiar este grupo de jogadores, que é fantástico. É um grupo de qualidade, de grande entrega, e acredito que é completamente possível que a Académica atinja o seu objetivo, que é a permanência». 

No final, Paulo Sérgio garantiu: «Não me arrependo nada de ter assinado pela Académica, uma instituição que só pode engrandecer o meu currículo».

in maisfutebol

17 de fevereiro de 2015

Fernando Couto lidera lista de candidatos

DIA DE REUNIÕES SEM DEFINIR NOVO TREINADOR

A direção da Académica esteve ontem reunida durante várias horas, mas as negociações para contratar o sucessor de Paulo Sérgio resultaram apenas numa lista de possibilidades, onde, tal como Record avançou na edição de ontem, Fernando Couto continua bem posicionado. Já Nuno Capucho perdeu força.

Fernando Couto

Contrariando as primeiras indicações, que davam conta de que o processo de escolha do novo treinador seria célere, tudo indica que a opção passa agora por estudar bem todas as alternativas existentes no mercado. Até porque é necessário decidir se a escolha recai numa aposta de futuro, mas também de risco, ou em alguém que já conhece bem os cantos à casa e ao campeonato. E é aqui que entra o nome de Domingos Paciência. O treinador que recentemente deixou o V. Setúbal deixou saudades em Coimbra, após o 7.º lugar de 2008/09. A direção sabe que Domingos é o mais consensual entre os adeptos, mas convencer o ex-internacional a voltar a orientar a Académica pode revelar-se uma missão difícil.

Na radar da Académica está também Lito Vidigal. O treinador do Belenenses é um desejo antigo do clube de Coimbra, que já tentou a sua contratação em ocasiões anteriores. Aliás, segundo apurámos, se, nesta altura, Lito fosse um técnico livre, estaria no topo das preferências. O problema é que o contrato com os azuis do Restelo só termina no final da época e a Briosa não tem condições para suportar os custos de uma desvinculação.

Limitações

A complicar todo o processo estão duas realidades. Primeiro, a situação da Académica na tabela, que não é o melhor cartão de visita para convencer um treinador a abraçar o desafio, sendo necessário alguém que chegue com a garantia de conseguir resultados imediatos. Em segundo lugar, a situação financeira não permite grandes aventuras. O acordo com Paulo Sérgio fez com que o clube tivesse de pagar os salários até ao final desta temporada – com o ex-treinador a prescindir do segundo ano de contrato –, o que diminui o raio de ação.

in record 

16 de fevereiro de 2015

Resultados e classificação após a 21J



2014/15 - 21J - Académica 0 - Boavista 0: resumo


Paulo Sérgio: quarto náufrago numa maré calma

Clubes da Liga estão a despedir menos treinadores. Na época passada apenas um terço das mudanças resultou. Resultados muito maus na Briosa

Paulo Sérgio é o quarto treinador da Liga a cair. 21 jogos feitos no campeonato, só uma vitória, demissão natural. Isto, apesar das palavras reiteradas pelo técnico ao longo das últimas semanas e no final do jogo deste domingo contra o Boavista, na flash-interview: 

«Tenho todas as condições para continuar na Académica». 

Não tinha, pelo menos na opinião da direção da Briosa. O anúncio oficial da saída do treinador fala em «acordo mútuo», um dado a confirmar nos próximos dias. 

Paulo Sérgio junta-se, então, a João de Deus, Ricardo Chéu e Domingos Paciência nesta lista pouco recomendável. O quarto náufrago numa maré de despedimentos anormalmente calma. Os clubes portugueses parecem estar dispostos a ter mais paciência com os técnicos. 

Chicotadas na Liga 2014/15: 

João de Deus: deixou o Gil Vicente (3ª jornada, entrou José Mota) 
Ricardo Chéu: deixou o Penafiel (5ª jornada, entrou Rui Quinta) 
Domingos Paciência: deixou o V. Setúbal (17ª jornada, entrou Bruno Ribeiro) 
Paulo Sérgio: deixou a Académica (21ª jornada, entrou…) 

Na presente campanha não é difícil perceber que as mudanças estão a promover resultados animadores. Dois dos três técnicos saíram numa fase muito precoce da Liga e sem a conquista de qualquer ponto. Ou seja, quem entrou teve obrigatoriamente de fazer melhor. 

Na temporada passada, por exemplo, houve seis mudanças de treinador da prova (mais duas do que na edição atual, portanto) e só um terço das trocas veio acompanhada de melhorias. 

Vamos, então, aos dados de 2014/15 (só consideramos os jogos do campeonato): 

GIL VICENTE 
João de Deus: 0 pontos em 9 (0 por cento) 
José Mota: 17 pontos em 54 (31.4 por cento) 

PENAFIEL 
Ricardo Chéu: 0 pontos em 12 (0 por cento) 
Rui Quinta: 13 pontos em 51 (25.4 por cento) 

V. SETÚBAL 
Domingos Paciência: 14 pontos em 51 (27.4 por cento) 
Bruno Ribeiro: 5 pontos em 12 (41.6 por cento) 

ACADÉMICA 
Paulo Sérgio: 15 pontos em 63 (23.8 por cento) 
ainda sem sucessor 

Em Barcelos, José Mota esteve até 11 de janeiro à espera da primeira vitória como treinador do Gil Vicente. Os galos venceram o também aflito Penafiel por 2-1, mas só nas duas rondas mais recentes a equipa deu um salto na classificação: vitória por 1-2 em casa do Marítimo e por 1-0 na receção ao Paços Ferreira. 

O mercado de transferência parece ter sido decisivo para a subida do Gil: Cadu, Markus Berger, Semedo, Rúben Ribeiro, Piqueti e Yazalde enriqueceram muito o plantel dos galos. 

Em Penafiel, Rui Quinta até se estreou com uma vitória (2-0 ao V. Setúbal a 20 de setembro), mas depois os durienses só venceram mais duas vezes: 0-1 em Arouca a 7 de dezembro, 2-1 diante do Nacional a 13 de dezembro. 

Quinta (e o Penafiel) não vencem há mais de dois meses. 

Finalmente, o Vitória Setúbal. Antes da derrota na Luz este domingo, Bruno Ribeiro tinha uma vitória e dois empates. Prometedor, sim, mas só agora a luta começa a sério. 

Voltemos a Paulo Sérgio e à Académica Coimbra. 

O antigo treinador do Sporting (outra similitude com Domingos) apostou muito forte neste regresso a Portugal e o saldo final é extremamente negativo. Só pode ser. 

No total, Paulo Sérgio orientou a Académica em 26 jogos oficiais. Somou três vitórias, 12 empates e 11 derrotas. 

17 golos marcados ( a Académica ficou 13 vezes em branco, metade dos jogos de Paulo Sérgio) e 34 golos sofridos. 

A Briosa caiu na Taça de Portugal frente ao modestíssimo Santa Maria (III Eliminatória) e na Taça da Liga quedou-se pela fase de grupos (3ª fase). 

Há pouco de bom a aproveitar no meio de tantos dados medíocres.