27 de dezembro de 2013

Mercado: Saídas em aberto

O número de reforços da Académica na reabertura do mercado pode ir além da contratação de um avançado, a grande prioridade. Não que o dinheiro abunde, bem pelo contrário, mas porque, para além da saída de Buval (rumou ao Paços de Ferreira), existem mais mudanças em aberto no plantel.

Na baliza, o francês Peiser está em final de contrato e, caso não renove, esta será a última oportunidade de encaixar algum dinheiro com o passe de um guarda-redes de qualidade que está “tapado” pelo capitão Ricardo. Mas há outros casos, como o de Halliche, em igual situação contratual e cuja possível transferência poderia ser compensada até final de janeiro. Do meio-campo para a frente, há Makelele, John Ogu, Manoel ou Rafael Oliveira – jogadores que ora terminam contrato, ora têm sido poucas vezes opção – e que poderão entrar nas cogitações do mercado.

A Académica está atenta, sendo certo que Sérgio Conceição terá novidades até 5 de janeiro, dia da viagem a Aveiro, para defrontar o Beira-Mar, para a Taça de Portugal.

in record

26 de dezembro de 2013

Plantel: Tozé Marreco e Cadu referenciados?

Tozé Marreco na mira da Briosa


Tozé Marreco pode ser reforço da Académica já na reabertura do mercado. Ao que A BOLA apurou, o ponta-de-lança, de 26 anos, que ontem rescindiu o seu contrato com o Tondela, faz parte da lista de avançados que os dirigentes academistas pretendem para reforçar o ataque do plantel às ordens de Sérgio Conceição, e nos próximos dias poderá haver entendimento entre as partes.

No entanto, e para garantirem a contratação do jogador, os responsáveis pelo futebol da Briosa terão de agir com alguma celeridade, uma vez que Tozé Marreco tem mais interessados nos seus serviços, não só em Portugal como também no estrangeiro.

Recorde-se que o ponta-de-lança, que é natural de Miranda do Corvo, concluiu o seu processo de formação em Coimbra, mas nunca chegou a jogar na primeira equipa da Académica. Essa é, agora, uma janela de oportunidade que se abre e o jovem técnico dos estudantes pode, assim, ver colmatada a saída de Buval, que recentemente rescindiu com os capas negras e rumou ao Paços de Ferreira.

Cadu é o desejado para patrão da defesa


Aos 32 anos - festejou o aniversário no último sábado -, Cadu pode estar de regresso ao campeonato português. Depois de oito épocas no Cluj, da Roménia, onde envergava a braçadeira de capitão, o central português, que deu nas vistas ao serviço de Paços de Ferreira e Boavista, está na lista de dispensas do atual 7.º classificado da Liga romena e é visto com bons olhos em Coimbra para se assumir como patrão da defesa.

Com 29 golos marcados em 233 jogos pelo Cluj, onde conquistou oito troféus, Cadu já foi informado pelo presidente do clube, Iuliu Muresan, que não entra nas contas e está autorizado a encontrar o clube já em janeiro. Apesar de ter contrato até junho de 2015, as recentes lesões, bem como o elevado salário que aufere - ronda os 30 mil euros mensais - colocaram Cadu com o rótulo de dispensável.

Segundo a Imprensa romena, a Académica já encetou inclusivamente contactos com o Cluj para receber Cadú, a custo zero, já em janeiro, mas ficou a saber que terá concorrência no negócio. O Hoverla Uzhgorod, atual 13.º classificado da Liga ucraniana, onde joga Marius Niculae, também já demonstrou interesse no central que foi igualmente oferecido pelo Cluj a clubes dos campeonatos russo e de países árabes.

A favor da Académica jogará, claro está, a vontade de Cadu regressar ao campeonato português por via de um emblema histórico.

in abola

23 de dezembro de 2013

2013/2014 - 14J - V Guimarães 3 - Académica 0


2013/2014 - 14J - V Guimarães 3 - Académica 0



A Académica perdeu este sábado com o Vit. Guimarães em jogo que contou para a 14ª jornada da Liga ZON Sagres. Os "estudantes" não fecharam o ano com chave de ouro e saíram derrotados do Minho por 3-0, numa partida que fica irremediavelmente marcada pela expulsão de Halliche, ainda na primeira parte, num lance onde o árbitro Artur Soares Dias fez vista grossa à provocação de Tomané sobre o central argelino da Briosa.

Os "estudantes" até foram a equipa que melhor entrou no jogo e rapidamente controlaram as incidências da partida, dispondo de algumas boas oportunidades para marcar e jogando de forma constante no meio-campo adversário. Marinho, Abdi e Magique criaram alguns calafrios à defensiva do Vit. Guimarães mas seriam os homens da casa a inaugurar a contagem, contra a corrente do jogo, num lance de bola parada, onde Marco Matias apareceu sozinho a cabecear para o fundo da baliza de Ricardo.

Depois do 1-0, a Briosa reorganizou-se mas não contava com a expulsão de Halliche, ao minuto 33, num lance onde o avançado vimaranense Tomané saiu incrivelmente impune. A perder e a jogar com menos um, pertenceu à Académica a melhor oportunidade da primeira parte, com o cabeceamento de Fernando Alexandre a sair caprichosamente ao lado da baliza defendida por Douglas.

Na etapa complementar, a equipa comandada por Rui Vitória ampliou a vantagem mas não sem antes contar com nova decisão que prejudicou a Académica. Cleyton sofreu falta à entrada da área vimaranense mas Artur Soares Dias mandou jogar e nesse lance nasceu o 2-0, que "matou" as aspirações da Briosa no desafio.

Até final, há a registar mais um golo da equipa da casa, que fechou a contagem no 3-0. Uma palavra para os incansáveis adeptos da Académica no D. Afonso Henriques que, mesmo vendo a sua equipa em desvantagem, foram os que mais se ouviram no reduto do Vit. Guimarães.

in AAC-OAF

espectadores: 9515

Crónica

Com distinção, o V.Guimarães acaba o ano em lugar europeu depois de passar o exame vindo de Coimbra. A Académica, com um erro defensivo e depois com uma expulsão desnecessária, estendeu a passadeira para que os minhotos construíssem um resultado robusto (3-0). O Vitória dá um safanão nos fantasmas de jogar no D. Afonso Henriques e cola-se ao Estoril no quarto lugar.

Ao todo, o V.Guimarães já não vencia no D.Afonso Henriques há seis jogos consecutivos em várias competições. Mais pontuador fora de portas do que em casa, o regresso à cidade-berço era simbólico até por isso.

A Académica procurava também regressar aos triunfos, depois de dois jogos sem vencer. A Briosa venceu o FC Porto no seu reduto, mas depois sucumbiu em Setúbal e não foi além de um empate caseiro com o Marítimo. Era por isso uma Briosa em busca de afirmação aquela que se apresentou na penúltima jornada da primeira volta

Sete minutos fatídicos para a Académica

Os minutos iniciais do encontro foram amorfos, sem história e a prometer dificuldades em fazer abanar as redes. A Académica estava bem organizada, o que por si só normalmente tem sido entrave para que o V.Guimarães consiga apresentar rendimento atacante.

Mas apenas em sete minutos, a história mudou por completo. No primeiro canto que teve a seu favor, contra os dois que a Académica já somava, Marco Matias foi rei e senhor no interior da área: cabeceou sem oposição para o fundo do marcador.

Apenas sete minutos depois Halliche agrediu Tomané e foi expulso. Vida difícil para Sérgio Conceição, que estava em desvantagem no marcador e igualmente em desvantagem numérica. A forma como o técnico da Académica pontapeou a bola no final do segundo tempo era um prenúncio daquilo que estava para acontecer.

Barrientos e André André avolumaram resultado

A Académica deu ainda um ar da sua graça, poucos depois de ficar a menos um, com Cleyton a não ter astúcia para empurrar a bola para o fundo da baliza de Douglas quando esta se passeou pela área em zona perigosa para a equipa da casa.

No segundo tempo, com os jogadores Academistas a acusarem o cansaço, o Vitória soube aproveitar as desatenções da equipa da casa para avolumar o resultado. Primeiro foi Barrientos, a dar sequência a um contra-ataque bem delineado pelo conjunto minhoto. Depois foi André André a aproveitar uma bola perdida no miolo para rematar muito colocado e longe do alcance de Ricardo.

O marcador parou no terceiro, registando o melhor resultado dos minhotos no campeonato. O V.Guimarães abrandou, a Académica já nada foi capaz de fazer. Três pontos no sapatinho do Vitória, que ganha alento para a deslocação ao terreno do rival Braga no arranque do novo ano. A Académica averbou o terceiro resultado negativo consecutivo e confirma a época irregular que vem a protagonizar.

Destaques

A figura

Marco Matias: Já é o melhor marcador do V.Guimarães. Com o processo de renovação «empancado», depois de já ter inclusive ficado de fora dos convocados devido a esse mesmo processo, o extremo voltou a marcar. O festejo foi à Cristiano Ronaldo, no gesto e nas palavras: «Eu estou aqui». Veloz e incisivo, foi sempre uma seta apontada à baliza de Ricardo. Dentro de duas semanas fica livre para se vincular a qualquer outro clube. O tempo começa a esgotar-se para a SAD do V.Guimarães, que vê o número 7 continuar a ser uma das principais armas do seu plantel. Saiu debaixo de aplausos.

O Momento

Golo Marco Matias (minuto 27’): Barrientos apontou o canto na esquerda, o primeiro do Vitória, e foi o franzino Marco Matias a cabecear para o fundo das redes. As torres da Académica concentraram-se no corredor centra e esqueceram-se do número 7 dos minhotos. A cabeçada inesperada de Marco Matias apanhou de surpresa Ricardo, que deixou a bola escapar-se por entre as pernas.

Desilusão

Halliche: Atitude imprudente daquele que é um dos jogadores mais experientes da Briosa. Tómané pisou involuntariamente o argelino, que reagiu de forma intempestiva agredindo o avançado do V.Guimarães. Artur Soares Dias foi perentório a correr na direção de Halliche com a cartolina encarnada na mão. Depois de sofrer o golo a Académica ficou a menos um. O central argelino viu o segundo vermelho consecutivo no espaço de pouco mais de meia hora. Primeiro diante do Setúbal, no último minuto do encontro, outro esta noite em Guimarães.

Outros destaques:

Abdi: Vinha a ser o melhor elemento o elemento mais irrequieto da Académica, ganhou ainda mais esse estatuto quando os estudantes ficaram recuados a dez elementos. Assumiu quase que por exclusivo as despesas atacantes do conjunto que viajou desde Coimbra. Abdi lutou sozinho contra a defensiva do Vitória. Esforço inglório; tentou até sacar uma grande penalidade a Douglas, mas o máximo que conseguiu foi a cartolina amarela.

Barrientos: Apontou o canto que inaugurou o marcador e foi o autor do segundo golo da equipa de Rui Vitória. Encostado à esquerda, onde conquistou o seu lugar no onze, abrilhantou a exibição esforçada com rendimento atacante.

Makelele: Pequeno em tamanho, gigante na luta do meio campo. Foi quase sempre ele a dar a cara à luta mesmo a sua equipa estando em desvantagem no que ao número de homens diz respeito. Correu o campo todo sempre com grande intensidade.

Opiniões

Rui Vitória, técnico do V.Guimarães, no final do encontro diante da Académica, em que o seu clube venceu por 3-0:

«Criámos vários problemas à Académica fruto da intensidade e da dinâmica inicial. Depois do 3-0 abrandámos, sabíamos que o jogo estava resolvido a nosso favor. Fica uma vitória muito conseguida. Dá-me um prazer ver esta equipa com estes miúdos cada vez mais a acreditarem em si próprios e a crescer.»

«É para mostrarmos a nós mesmos e a muita gente que não há receitas para estas questões. Às vezes os golos não aparecem, o trabalho está a ser desenvolvido e hoje materializamos em golo as oportunidades criadas».

[Balanço 2013]
«Se há ano que ficará marcado na minha vida e no Vitória é o ano de 2013, porque conquistámos a Taça de Portugal. Foi um ano muito difícil, com muitas perturbações. É um ano positivo com as dificuldades que foram acontecendo».

[Mercado de Inverno]
«Como treinador não me limito à minha área técnica, sei que as coisas não estão fáceis a nível financeiro. Se houver essa oportunidade cá a analisaremos, agora não estamos focados em determinado sector ou determinado jogador».

Declarações de Sérgio Conceição, treinador da Académica, depois de derrota por 3-0 no Estádio D. Afonso Henriques, frente a ao V. Guimarães:

«Se eu dissesse aquilo que me vai na alma se calhar seria mal-educado. Não são normais estes erros. O primeiro golo é um erro nosso e não pode acontecer a este nível. A expulsão deixo para vocês comentarem mais uma vez».

«Em termos de estatística tivemos mais remates, mais cantos. A estratégia para o segundo tempo era para esperar pelo Vitória, pois sabíamos que eles vinham atrás do segundo golo».

«O segundo golo foi num lance de ataque nosso em que houve falta sobre o Ogu. Faz-me lembrar o segundo golo nosso sofrido com o Sporting, com este mesmo árbitro em que não marcou um fora de jogo de um metro. O segundo golo matou o jogo».

«O futebol é isto, a Académica nota-se que é um clube que não tem peso nestas coisas da arbitragem. Temos cinco penáltis contra e nenhum a nosso favor.»

Ricardo, guarda-redes da Académica, na zona mista do Estádio D. Afonso Henriques após a derrota por 3-0 com o Vitória:

«Vínhamos com o intuito de pontuar aqui, era esse o nosso objectivo. Sofremos um golo de bola parada numa falha de marcação e depois da expulsão [de Halliche] tudo ficou mais difícil».

«Já me disseram que o nosso jogador não fez nada para vermelho direto, mas ainda não vi as imagens por isso não vou comentar a arbitragem.»

«Logicamente, que é mais complicado com menos um. Estar a perder por 1-0 e depois uma expulsão. Depois o Guimarães acabou por fazer mais dois golos.»

Fernando Alexandre (in Record)
“Ainda estamos na luta e dentro dos objetivos a que nos propusemos para esta época. Existe muita qualidade no plantel e se continuarmos a trabalhar desta forma iremos ser devidamente recompensados no final da temporada”,

Ao minuto 

90'FIM DO Vitória Guimarães, (3) - Académica, (0)
85'Cartão amarelo para Freire
80'Está tudo resolvido no D. Afonso Henriques e as duas equipas sabem disso.
73'Entra Grilo do Académica
73'Sai Marinho do Académica
70'Cartão amarelo para C. Malonga
69'Entra N. Plange do Vitória Guimarães
69'Sai Marco Matias do Vitória Guimarães
67'Cartão amarelo para Tómané
67'Entra Tiago Rodrigues do Vitória Guimarães
66'Sai André André do Vitória Guimarães
66'Amarelo para o jogador da Académica por simulação. Muito bem o árbitro, boa decisão.
66'Cartão amarelo para G. Magique
65'Magique pede penálti por derrube de Douglas!
65'Livre perigoso a favor da Académica~
63'Entra J. Ogu do Académica
63'Sai Cleyton do Académica
60'O médio do Vitória apanha a bola à entrada da área, após um corte de Djavan. André André atira muito colocado, rasteiro, e a bola entra junto ao poste esquerdo da baliza de Ricardo.
59'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de André André
59'Entra C. Malonga do Vitória Guimarães
58'Sai Crivellaro do Vitória Guimarães
58'RICARDO EVITA O TERCEIRO!
58'Tomané cruza da direita, a defesa falha o corte e Barrientos recebe na área, com dificuldade, uma vez que a bola sobe. Ainda assim, o uruguaio consegue um remate em meia rotação e bate Ricardo pela segunda vez na noite.
58'Assistência para golo de Tómané
57'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de J. Barrientos
54'Capela falha o próximo jogo na Liga da Académica, em casa com o Paços.
53'Cartão amarelo para Aníbal Capela
53'André André bate, mas o cabeceamento de Tomané é fraco. Ricardo segura.
52'Livre lateral a favorecer o Vitória.
51'Marcelo cruza da direita, mas o Vitória afasta
48'Perda de bola de Paulo Oliveira, Magique recolhe parte para a área e remata para defesa de Douglas.
46'Recomeça o Vitória Guimarães - Académica
45'Intervalo no Vitória Guimarães - Académica
45'Cartão amarelo para João Real
45'Assistência para golo de J. Barrientos
45'Livre perigoso a favorecer o Vitória, em posição lateral.
44'Sérgio Conceição irritadíssimo! Deu um chutão numa bola agora...
40'Entra João Real do Académica
40'Sai G. Magique do Académica
40'AFASTA O VITÓRIA! Quase o empate. Cruzamento da esquerda para o segundo poste, Luís Rocha falha o corte e depois Freire consegue evitar o golo da Briosa, ao meter o pé à bola e não deixar que Cleyton rematasse!
35'Por agressão a Tomané!
35'Cartão vermelho para R. Halliche
33'AO LADO! Livre para a Académica, Fernando Alexandre cabeceia ao segundo poste, mas a bola sai ao lado da baliza de Douglas. Passou muito perto!
32'Douglas sai da baliza e afasta a bola com os pés, perante a ameaça de Marinho
28'Canto de Barrientos na esquerda do ataque do Vitória. Marco Matias surge sozinho na área e cabeceia por entre as pernas de Ricardo. A questão é: como é possível Marco Matias aparecer solto assim?
28'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Marco Matias
27'Canto para o Vitória.
24'Marinho tenta servir Magique na área, mas o passe sai comprido.
21'DOUGLAS! Magique cabeceia solto na área, quase de costas para a baliza. Tenta meter a ola por cima de Douglas, mas o guarda-redes está bem posicionado e segura.
18'SEGURA RICARDO! Bola pela esquerda, Crivellaro cruza, Tomané dá um toque e Barrientos não consegue o remate na área. O guarda-redes da Académica agarra a bola depois.
17'Passou o perigo para o Vitória.
16'Novo canto.
16'Canto para a Académica.
13'Outro cartão amarelo bem mostrado. Entrada fora de tempo sobre Marco Matias.
13'Cartão amarelo para Djavan Ferreira
11'Entrada a deslizar sobre Abdi. Nada a dizer, cartão ajustado.
11'Cartão amarelo para André André
10'Falha na defesa da Académica, a bola chega a Marco Matias que tenta o remate. Djavan aparece a tempo de cortar.
8'Marco Matias tem entrada completamente fora de tempo e atinge Fernando Alexandre.
6'Responde a Académica com um remate de Magique que Douglas defende.
5'Crivellaro coloca a bola na área da Académica, mas Ricardo recolhe sem problemas.
3'Remate de longe de Tomané, por cima!
1'Começa o Vitória Guimarães - Académica
0'Equipas em campo. Jogo prestes a começar.
0'Suplentes: Peiser, João Real, Bruno China, Marcos Paulo, Diogo Valente, Grilo e Ogu.
0'Académica: Ricardo; Marcelo, Halliche, Capela e Djavan; Fernando Alexandre, Makelele e Cleyton; Marinho, Magique e Abdi.
0'Suplentes: Miguel Oliveira, Moreno, Nii Plange, André Santos, Russi, Malonga e Tiago Rodrigues
0'Vitória: Douglas; Amorim, Paulo Oliveira, Freire e Luís Rocha; Leonel Olímpio, André André e Crivellaro; Marco Matias, Tomané e Barrientos.
0'Avancemos desde já com os onzes iniciais!
0'Boa tarde e seja bem-vindo ao Vitória-Académica, partida da 14ª jornada da Liga 2013/14 e que o Maisfutebol vai acompanhar AO VIVO! FIQUE LIGADO!

in maisfutebol

Expulsão

Halliche, outra vez expulso!

8 jogos em 2013/2014 - 3 expulsões!
14 jogos em 2012/2013 - 2 expulsões!

total na Briosa de 22 jogos e 5 expulsões!

Folgas / Treinos 

O facto de a Briosa já ter sido eliminada da Taça da Liga e apenas ter o regresso à competição marcado para dia 5 de janeiro permitiu ao plantel usufruir de mais dias de folga durante a quadra natalícia. O próximo duelo será diante do Beira-Mar, em Aveiro, para a Taça de Portugal, jogo que só começa a ser preparado na tarde de sexta-feira, dia 27.

in record

21 de dezembro de 2013

2013/2014 - 14J - V. Guimarães - Académica: Antevisão

O momento

V.Guimarães: Os minhotos estão de olhos postos nos lugares europeus. O triunfo em Arouca colocou novamente o V.Guimarães nessa condição, depois de na jornada anterior não ter ido além de um empate sem golos no D. Afonso Henriques. O problema tem sido mesmo esse, jogar em casa. O último triunfo caseiro do V. Guimarães tem mais de dois meses: 7 de outubro, frente ao Marítimo.

Académica: A vitória diante do FC Porto, a última conquistada pelos estudantes, não teve um efeito catalisador e a equipa de Sérgio Conceição averbou dois resultados negativos. Os estudantes perderam na casa do V.Setúbal e não foram além de um empate sem golos diante do Marítimo.

Ausências

V.Guimarães: Abdoulaye, Addy, Kanu e Maazou (lesionados).

Académica: Ivanildo (lesionado).

Discurso direto

Rui Vitória: «Espero uma Académica difícil, porque está recheada de jogadores de qualidade, e a maioria deles com maturidade e experiência. Têm bons jogadores, formou um bom plantel. A Académica tem valor e qualidade. Não nos podemos esquecer que já roubou pontos ao Braga e ao Porto»

Sérgio Conceição: «Não fugiu ao que tem sido o nosso trabalho. Preparamo-nos da mesma forma, para lá ir e tentar vencer, sabendo que vamos encontrar uma equipa muito difícil. O Guimarães está em bom momento, já não está em mais nenhuma prova além do Campeonato. Vai ser difícil, mas tudo faremos para contrariar isto, e tentar ganhar»

Histórico de confrontos:

O V.Guimarães costuma dar-se bem a jogar em casa com a Académica. No total de 57 jogos disputados a equipa vimaranense venceu por 36 ocasiões, registando-se dez empates. Dos 11 triunfos academistas em Guimarães, dois foram nas três últimas deslocações à cidade-berço. Na última época o V.Guimarães venceu por duas bolas a zero, com golos de Tiago Rodrigues e de Soudani.


Equipas prováveis:

V.Guimarães:

Outros convocados: Miguel Oliveira, André Santos, Moreno, Tiago Rodrigues, Nii Plange, Russi e Malonga.

Académica:
Outros convocados: Peiser, Halliche, Grilo, Bruno China, Nuno Piloto, Marcos Paulo, Ogu, Marinho e Manoel.

in maisfutebol

2013/2014 - 14J - V Guimarães - Académica: Convocados

Já é conhecida a lista de convocados da Académica para o jogo deste sábado (18.15) no terreno do Vitória de Guimarães.

Halliche, que havia cumprido castigo frente ao Marítimo, esta de regresso aos eleitos, ao invés de Ivanildo que não recuperou de uma mialgia na coxa direita.

Eis a lista de convocados:

Guarda-redes: Peiser e Ricardo;

Defesas Aníbal Capela, Halliche, Djavan, João Real, Paulo Grilo e Marcelo Goiano;

Médio Makelele, Bruno China, Cleiton, Marcos Paulo, Nuno piloto, John Ogu e Fernando Alexandre;

Avançados: Marinho, Manoel, Abdi, Diogo Valente e Magique.

in abola

Vit. Guimarães vs Académica: Antevisão de Sérgio Conceição




in AAC-OAF

«Queremos acabar o ano da melhor maneira, com uma vitória»

O sentimento não muda, semana após semana, mas em plena quadra natalícia o espírito é, pelo menos, especial. A Briosa quer terminar o ano civil da melhor maneira e dar uma prenda aos seus adeptos.

Os estudantes jogam sábado (18.15), no Minho, frente ao Vitória de Guimarães, na penúltima jornada da primeira volta da Liga, e Sérgio Conceição quer conquistar os três pontos.

O jovem técnico academista reconhece o valor da adversário mas também sublinha que a sua equipa esta emprenhada em continuar na mó de cima:

- Preparamos o jogo para vencer. Sabemos que vamos ter muitas dificuldades, o Vitoria está num bom momento, já não se encontram noutras competições, mas tudo faremos para contrariar isso. É uma equipa que vale pelo seu todo, é inteligente e aproveita bem os vários momentos do jogo. Nós estamos plenamente conscientes de tudo isso, mas queremos acabar o ano da melhor maneira, ou seja, com uma vitória. Queremos dedicar essa alegria aos nossos adeptos, aproveitando a oportunidade para lhes desejar-mos, desde já, um santo e feliz Natal. Queremos conquistar mais tês pontos para continuarmos a nossa luta.»

«Primeiros dias da semana estive com azia mas não com os meus jogadores...»

Sérgio Conceição sua imagem puro como sempre foi, com o coração na boca e a dizer tudo o que lhe vai na alma. Nos instantes iniciais da conferência de Imprensa o jovem técnico da Briosa não foi de modas e aproveitou para justificar o facto de ter fechado os treinos durante toda a semana.

«Nos primeiros dias da semana estive com azia mas não com os meus jogadores... Com quem? Com parte da Imprensa. Ao ler os jornais do dia seguinte ao jogo com o Marítimo fiquei estupefacto com algumas crónicas de viajantes que passam por Coimbra. Crónicas desastrosas que até revelam falta de respeito aos jogardes na análise individual. Contaram outra historia de jogo», disparou.

in abola

20 de dezembro de 2013

«Queremos dar uma prenda de natal antecipada aos nossos adeptos» - Ivanildo

Ivanildo (foto ASF)

Com o pensamento na vitória. Assim está o plantel da Briosa, em vésperas de uma deslocação que se antevê difícil. No próximo sábado os estudantes defrontam o V. Guimarães, no Minho, e querem regressar a Coimbra com os três pontos na bagagem.

À margem de uma sessão de autógrafos que decorreu na loja do clube, num conhecido espaço comercial da cidade, e onde esteve na companhia de Halliche, Marcos Paulo e John Ogu, Ivanildo afirmou estar consciente das dificuldades que os capas negras vão ter pela frente mas quer dar brindar os adeptos em plena quadra natalícia:

- Esperamos um jogo muito complicado já que o V. Guimarães tem uma excelente equipa, mas nós estamos em crescendo e vamos tentar ganhar para dar uma prenda de natal antecipada aos nossos sócios que têm sido incansáveis no apoio que nos têm dado. O favoritismo é repartido. O Guimarães está bem classificado, tem feito um bom campeonato e penso que vai ser um jogo especial. É uma equipa com bons valores mas que vale pelo seu todo e não pelas suas individualidades. Eles também têm sempre um grande apoio do seu público, tal como a Académica, mas o que se passa fora das quatro linhas não nos impede de estarmos apenas e só focados na vitória e na alegria da nossa gente.

No plano individual, o número 10 ainda não tem lugar garantido na partida relativa à 14.ª jornada da Liga, que está agendada para as 18.15 horas de sábado, uma vez que continua a recuperar de uma mialgia na coxa direita. Ainda assim, o extremo continua a acreditar que ainda vai conseguir entrar nas opções de Sérgio Conceição. «Estou a fazer os possíveis para poder jogar no sábado. Estou a fazer tratamento e apesar de ainda não conseguir treinar tenho esperanças de poder recuperar a tempo para ajudar a equipa», concluiu.

Recorde-se que esta sexta-feira o plantel academista realiza o derradeiro treino antes da visita a Guimarães, numa sessão que, à imagem do que tem acontecido durante toda a semana, vai voltar a realizar-se à porta fechada, na Academia do clube. No final do ensaio matinal, Sérgio Conceição estará na sala de Imprensa para projetar o encontro frente aos vimaranenses.

in abola

19 de dezembro de 2013

«Estamos num momento ascendente e vamos a Guimarães lutar pela vitória» - Ricardo

Ricardo foi esta quarta-feira o convidado do «Conversa de Bancada», programa levado a cabo pelo site oficial da Académica e que visa promover uma interação entre os adeptos e os jogadores. Sobre o próximo encontro da Liga, marcado para o próximo sábado, em Guimarães, o número 12 diz que a Académica está, apenas e só, focada na conquista dos três pontos:

- As expetativas para a viagem a Guimarães são boas. Sabemos que vai ser um jogo complicado, num campo tradicionalmente difícil. É um jogo com um simbolismo especial para as pessoas de Coimbra, por tudo o que envolveu o caso N’Dinga, e tanto eu como os meus colegas estamos identificados com isso, sabemos o quão especial este jogo é para os academistas. Estamos num momento ascendente, temos pontos suficientes para estarmos mais tranquilos e lutar pela vitória em Guimarães. Temos qualidade para isso e é esse o caminho.

O guarda-redes dos capas negras, um dos atletas mais adorados pela massa associativa da Briosa, não esconde que é um motivo de orgulho capitanear a equipa e exprime toda a sua satisfação por jogar de losango ao peito.

«A Académica não se explica, sente-se. Desde o primeiro ano que estou aqui aprendi a gostar da Académica e a sentir o que é ser academista. É com muito orgulho que represento este clube, não só pelo seu historial e pelos títulos conquistados, mas também por todas as causas que defendeu até hoje. Ser capitão da Académica é uma responsabilidade enorme, é um tremendo orgulho. Representa o máximo do meu academismo», afirmou.

Washington Alves, André Villas Boas e Pedro Emanuel

Fazendo uma breve resenha sobre a sua carreira, Ricardo foi questionado sobre os treinadores que mais o marcaram. Com toda a frontalidade que o carateriza respondeu assim:

«Felizmente que foram muitos os treinadores que me marcaram, por diversos motivos. No entanto, não podia deixar de referir o mister Washington, o pai do Bruno Alves, que me lançou na formação do Varzim, que apostou em mim, e que viu que eu tinha queda para a posição de guarda-redes. Mais à frente, e nomeadamente na Académica, o André Villas Boas, por tudo o que conseguiu fazer aqui e o futebol que nos colocou a praticar. Cativou-me bastante pela sua mensagem, pelo seu discurso, e pelos métodos que implementou. Também não posso esquecer o Pedro Emanuel, que apostou em mim e a quem eu devo muito, afinal foi com ele que eu conquistei o meu único título aqui na Académica. Ídolos na minha posição? Vítor Baía e Buffon», rematou.

in abola

2013/2014 - Taça de Portugal: Beira Mar - Académica: Domingo, 5 Jan, 15H

Sábado, 4 de janeiro:
Leixões – Estoril, 14 horas
Rio Ave - Vitória de Setúbal, 17 horas
FC Porto – Atlético, 18 horas
Benfica - Gil Vicente, 20.15 horas

Domingo, 5 de janeiro:
Paços de Ferreira – Desportivo das Aves, 15 horas
Marítimo – Penafiel, 15 horas
Beira-Mar – Académica, 15 horas
SC Braga – Arouca, 19.15 horas

18 de dezembro de 2013

Académica e Buval rescindem contrato

A Académica vem por este meio informar os seus sócios, adeptos e demais interessados que chegou a acordo com o jogador Bédi Buval para a rescisão, de forma amigável, do contrato que ligava as duas partes.

A Briosa deseja ao jogador sucesso para o seu futuro, tanto a nível profissional como pessoal. 


in AAC-OAF

16 de dezembro de 2013

Académica já prepara viagem a Guimarães

A equipa profissional da Académica iniciou este sábado a preparação para o jogo frente ao Vit. Guimarães.

Após o empate frente ao Marítimo, o conjunto orientado por Sérgio Conceição reuniu-se no Estádio EFAPEL para mais um treino que ficou marcado pela ausência de Ivanildo.

 

O número 10 da Académica está a contas com uma mialgia na coxa direita e falhou o retomar dos trabalhos na Briosa. Os "estudantes" voltam a treinar na segunda-feira, pelas 16:00, na Academia do clube.

in AAC-OAF

Wisla Cracóvia segue Aníbal Capela

Aníbal Capela está debaixo de olho do Wisla Cracóvia. Ao que A BOLA apurou, o defesa central tem sido alvo de uma intensa observação do emblema polaco, em 4.º lugar no campeonato do seu país, que está seriamente interessado em avançar para a contratação do jogador, que está emprestado à Académica até 2015.

O seu passe pertence ao SC Braga, clube ao qual está ligado até 2017, e qualquer negociação - cujos valores de uma possível transferência nunca serão inferiores a um milhão de euros - passará pelos arsenalistas. Caso o processo negocial tenha pernas para andar, os estudantes não ficarão de mãos a abanar. Pese embora o facto de poder perder um valor seguro do plantel às ordens de Sérgio Conceição, a Briosa terá direito a 20 por cento de uma eventual venda.

O nosso jornal sabe que, esta época, os polacos já observaram Aníbal Capela em três ocasiões: com o Penafiel, para a Taça da Liga, e com o FC Porto, ambos em Coimbra, e diante do Olhanense, no Algarve. O central foi titular em todos e, curiosamente, os estudantes não sofreram golo em nenhum…

Mas não é só da Polónia que há ecos do interesse no internacional sub-21. A excelente temporada de Capela - alinhou em 12 dos 13 jogos da Liga - já aguçou o apetite de clubes ingleses, italianos e alemães, pelo que a reabertura do mercado pode dar ao jogador a primeira experiência além-fronteiras.

2013/2014 - 13J - Académica 1 - Marítimo 1

http://videos.sapo.pt/CbLBJ9brBPyiZVzQgPr4

2013/2014 - 13J - Académica 1 - Marítimo 1


A Académica empatou esta sexta-feira diante o Marítimo a uma bola em encontro que abriu a 13ª jornada da Liga ZON Sagres. Os "estudantes" marcaram primeiro, por intermédio de Makelele, mas Derley viria a empatar para os insulares no decorrer da segunda parte.

O técnico da Briosa, Sérgio Conceição, não apresentou novidades relativamente ao que tem sido o onze titular da Académica nos últimos jogos e deu-se bem com essa aposta, uma vez que foram os "estudantes" a equipa que melhor entrou em campo. Determinados, os jogadores da turma de Coimbra adiantaram-se no marcador por intermédio de Makelele, que respondeu de cabeça a um cruzamento milimétrico de Ivanildo, estavam decorridos 42 minutos.

Ao intervalo, era a Briosa que estava na frente e o resultado premiava, acima de tudo, a eficácia do conjunto estudantil perante um Marítimo que tinha mais bola mas que jogava sem objectividade.

Na etapa complementar, o Marítimo assumiu as despesas do jogo e foi em busca do empate, encontrando do outro lado uma Académica muito segura na sua zona defensiva e espreitando o erro adversário para ampliar a vantagem. No entanto, seria o Marítimo a marcar, com Derley a bater de cabeça o guarda-redes Ricardo, que nada podia fazer.

Até final, a Briosa dispôs da melhor oportunidade para marcar mas Leoni defendeu um cabeceamento de Aníbal Capela, que levava selo de golo. Na próxima jornada, os "estudantes" deslocam-se a Guimarães para defrontar o Vitória local.

in AAC-OAF

espectadores: 2224

Crónica 

Numa sexta-feira 13, na abertura da jornada 13, com a temperatura a rondar os 13 graus, havia tanta coisa para escrever sobre superstição, mas fiquemo-nos apenas pela fé. A fé que Sérgio Conceição terá tido que a sua equipa conseguiria aguentar um Marítimo em franca recuperação, com um dos ataques mais produtivos do campeonato, e uma sede enorme sede de pontos.

A fé também que o próprio Makelelé, autor do primeiro golo da noite, teve naquele momento mágico em que se estreou a marcar, tal como desejara no lançamento da partida. Coincidências, superstição, fé... um trio tantas vezes presente no futebol.

A tudo a Briosa resistiu e, com o golo da ordem, que dá sempre pelo menos um ponto, lá saiu incólume da partida, apesar da desinspiração gritante da primeira parte, e do abdicar praticamente do ataque para defender a vantagem na segunda metade.

Pelo menos até ao golo dos maritimistas, que foram claramente melhores, contra um conjunto estudantil que apenas procurou fazer pela vida, na noite da estreia da brazuca, a bola do próximo Mundial, agora também em uso em Portugal.

A Académica foi para o intervalo a vencer sem o merecer. Até então, o jogo tinha sido todo do Marítimo, que não conseguiu marcar, é certo, mas semeou o perigo amiudadas vezes junto da baliza de Ricardo.

O guarda-redes da Briosa, tantas vezes elogiado nos últimos tempos, deu, até, o mote para o desacerto da turma da casa, com uma intervenção desastrosa que só não deu golo porque Marcelo reagiu de pronto. Mais tarde, num lance precedido de mão de Héldon, os maritimistas chegaram a introduzir a bola na baliza estudantil.

A Académica parecia perra de movimentos, com claras dificuldades em construir jogadas de ataque, e extremos inexistentes. Ao contrário, os verde-rubros foram ganhando confiança na partida e, com um trio endiabrado (Héldon, Derley e Sami), ameaçaram várias vezes o golo.

A diferença estava ai. Enquanto os insulares pareciam ter um plano de jogo concreto e definido, a equipa de Sérgio Conceição revela-se apática, falha em energia e agressividade. Tirando um remate acrobático de Fernando Alexandre, nada fazia prever o golo.

A premonição de Makelelé acabaria por ser mais forte: mesmo sobre o intervalo, após um canto da direita, Ivanildo faz a única coisa positiva antes de sair mais uma vez lesionado, com um centro tenso para a cabeça do brasileiro.

Os estudantes já tinham sentido dificuldades nos cantos do Marítimo na primeira parte e continuaram sem encontrar antídoto face à envergadura dos centrais forasteiros, que conseguiam invariavelmente ganhar os lances. Só faltava a pontaria.

O jogo mudou de cariz, uma vez que agora os donos da casa não precisavam mais de correr para chegar à vantagem, mas antes conservá-la. Por isso, baixaram as linhas, cerraram fileiras, e ficaram à espera de apanhar o adversário desequilibrado.

Tantas vezes os insulares lá foram que, numa dessas oportunidades, Derley acertou por fim no alvo. Nova mudança no paradigma da partida. A Académica abriu um pouco, o Marítimo não se contentou com o empate.

A superioridade verde-rubra assentou-se, na tentativa de virar o resultado, mas era difícil entrar numa defesa fechada a sete chaves. Leoni também teve de voar para evitar o golo de Capela, que, a acontecer, teria pintado o resultados em tons de injustiça ainda mais carrega.

Destaques 

A figura: Makelelé
Qual é o peixe que antes de o ser, já o era? A pescada, lembram-se? Com Makelelé também foi assim. Antes de marcar com a brazuca, já era brasuca. Tudo isto para dizer que o médio da Briosa foi o primeiro jogador a marcar com a nova bola da Liga, aquela que será usada no Mundial do outro lado do Atlântico. Além do golo, em jeito de premonição, o «clone» de Claude Makelele foi inexcedível na luta do meio-campo.

Outros destaques:

Derley
Quando não há Héldon, há Derley. Passou a primeira parte à procura da sorte que nada quis com ele, até que logrou fazer o golo que repôs alguma justiça na partida. O segundo jogador a marcar com a brazuca também veio das terras do samba. Quem diria?

João Real
Regressou à equipa com uma exibição ultra-concentrada, com cortes a rodos, sobretudo na primeira parte, e muita presença na área.

Marcelo
Está a subir de rendimento e, neste jogo, notou-se em particular como a confiança pode fazer milagres. Também passou por aflições, num encontro com vários sentimentos à mistura, mas, no cômputo geral, saiu do do desafio com uma exibição pautada pelo acerto defensivo e alguns raides que poderiam ter provocado mossa.

Héldon
Não marcou desta feita, mas foi o inimigo público número 1 para a Académica, tal a facilidade com que entrou pela defesa, com velocidade e técnica. Na retina ficou uma grande jogada na etapa inicial, quando «sentou» dois adversários na área, perdendo-se depois a jogada porque não quis ser egoísta.

Opiniões 

Sérgio Conceição, treinador da Académica, no final do empate desta sexta-feira, em Coimbra, diante da Marítimo, começando por comentar a opinião de Pedro Martins sobre o jogo:

«Conheço o Pedro há muito anos, de quando eramos jogadores, e talvez essa visão não esteja muito correta, mas é a opinião dele. Acredito que seja uma grande frustração, um desastre, para o Marítimo, com o orçamento que tem, não estar na Europa…

Era um jogo complicado. Estrategicamente, apresentámo-nos mais baixos, e não conseguimos sair com qualidade, mas a ideia passava por ai, tirar espaço na nossa defesa, porque o Marítimo é muito forte nas transições. Sei que não foi muito bonito, mas foi assumido por nós. Prefiro não jogar bem e ganhar, que o contrário. Na segunda parte, soltamo-nos mais, a grande oportunidade é nossa, e podíamos ter ganho o jogo, mas considero o resultado justo. Depois de jogarmos na segunda, o nosso microciclo foi diferente, tivemos jogadores condicionados, alguns nem treinaram durante a semana. Tinha outras opções, é verdade, o plantel é equilibrado, mas a equipa também ficou equilibrada com os que jogaram. Foi diferente, mas o Marítimo faz-nos correr muito, não dá pausas, obriga a u, desgaste um pouco maior. A brazuca? É uma bola diferente. Colorida.»



Pedro Martins, treinador do Marítimo, no final do empate desta sexta-feira, em Coimbra, diante da Académica:

«Penso que não vencemos porque não conseguimos concretizar as oportunidades que tivemos, mas dominámos em toda a linha, sobretudo na segunda parte. Só me lembro de uma defesa do Leoni, já perto do final. Fomos, muito sinceramente, melhores. Tivemos mais posse de bola, mais cantos, mais oportunidades… infelizmente não vencemos, mas foi o quinto jogo consecutivo sem perdermos, se juntarmos o da Taça. Temos que continuar o nosso trabalho e com esta concentração.

Se acreditámos na vitória? Claramente. Aliás, a atitude da equipa mostrou isso. Mesmo quando empatámos, teve grande postura, queria ganhar o jogo, uma grande dinâmica, mas um jogo de futebol é assim. Se calhar, noutros jogos, não tivemos tanto caudal ofensivo e vencemos. O que aconteceu para esta melhoria? Tem a ver com o crescimento da equipa, que é muito jovem, faz parte da evolução, mas fico satisfeito, não pela posição que ocupamos, mas por ver atletas de grande valor a crescer desta forma.»

Aníbal Capela, jogador da Académica, no final do empate desta sexta-feira, em Coimbra, diante da Marítimo:

«É um ponto, normal, não é um ponto ganho ou dois perdidos. Até porque o resultado é justo, ajusta-se o empate perante desempenho das duas equipas. É apenas um ponto. Era impotante não perdermos, sem dúvida, para continuarmos a nossa caminhada, à procura do nosso objetivo, que é a manutenção. É um ponto a mais, um ponto importante, perante uma bela equipa.»

Ao Minuto 

90'Empate a abrir a 13ª jornada com a Académica e Marítimo a continuarem juntos na classificação, agora com 15 pontos, no jogo que assinalou a estreia da bola Brazuca.
90'FIM DO Académica, (1) - Marítimo, (1)
90'Aníbal Capela, outra vez de cabeça, na sequência de um canto, a atirar a rasar a barra.
90'Entra Igor Rossi do Marítimo
90'Sai Héldon do Marítimo
90'Mais cinco minutos...
88'Entra Rúben Brígido do Marítimo
88'Sai Artur do Marítimo
87'Cartão amarelo para Rúben Ferreira
86'Grande defesa de Leoni a uma cabeçada de Anibal Capela.
85'Cartão amarelo para Sami
83'Entra Diogo Valente do Académica
83'Sai L. Abdi do Académica
83'Cartão amarelo para João Diogo
83'Arrancada de Marcelo, mas, já dentro da área, adiantou a bola em demasia e perdeu-a para Leoni.
82'Sérgio Conceição está irritado. Só joga o Marítimo...
80'Diogo Valente vai entrar...
80'Estão 2.224 adeptos no Estádio Cidade Coimbra.
79'João Diogo cruza tenso, mas Anibal Capela antecipa-se a Heldon e corta.
78'O Marítimo continua por cima do jogo...
72'Assistência para golo de Sami
72'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Derley
72'Muito fácil. Sami cruza da direita e Derley desvia de cabeça.
71'O Marítimo mantém uma pressão forte, mas a Académica está a gerir bem o jogo.
68'Rúben Ferreira, na marcação do livre, atira forte, mas Abdi corta para canto.
67'João Diogo conquista livre perigoso à entrada da área, sobre a direita.
66'Entra B. Buval do Académica
66'Sai G. Magique do Académica
63'Entra T. Weeks do Marítimo
63'Sai Alex Soares do Marítimo
62'Pedro Martins chamou Theo Weeks.
60'Livre de Rúben Ferreira, por cima da trave.
56'Cartão amarelo para Cleyton
55'Guarda-redes recuperou, recomeçou o jogo...
54'Jogo interrompido para Leoni receber assistência.
53'Desentendimento entre Gêgê e Leoni e Magique quase que aproveita...
52'Márcio Rosário, na sequência de um canto, cabeceou ao lado.
51'Heldon insiste e ganha um canto para o Marítimo.
48'Remate em jeito de Héldon, ao lado.
46'Ricardo finta dois jogadores do Marítimo na área, que risco!!!
46'Recomeça o Académica - Marítimo
45'Resultado injusto ao intervalo, depois de o Marítimo ter estado bem mais perto do golo, acabou por ser a Académica a colocar-se na frente!
45'Intervalo no Académica - Marítimo
44'Ivanildo volta a sair devido a problemas físicos...
44'Entra Marinho do Académica
44'Sai Ivanildo do Académica
43'Canto à maneira curta, Ivanildo cruza tenso, com o brasileiro a surgir na pequena área a cabecear para o golo!!!
42'Assistência para golo de Ivanildo
42'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Makelele
41'Magique não acerta na bola!
37'Dois nós de Derley na área, sobre Real e Fernando Alexandre, mas dá ao lado onde Marcelo surge a cortar!!!
30'Podia ter sido um frango de Ricardo!!! O guarda-redes sai, chuta a bola contra Héldon, esta sobra para Artur que atira para o golo, mas o árbitro anula por falta do cabo-verdiano, que terá metido o braço à bola!
27'Cartão amarelo para Alex Soares
26'Grande corte de Real!
25'Cartão amarelo para Fernando Alexandre
24'Fernando Alexandre tenta um remate acrobático, sai-lhe por cima!
23'Que raide de Héldon! Mas o árbitro não dá falta...
22'Héldon atira por cima, num livre frontal.
20'Muito mais Marítimo nesta primeira parte...
20'Ricardo deixa escapar uma bola fácil!!! O que valeu foi que estava lá um jogador da Académica para aliviar!!!
17'A claque protesta também contra os jogos da Académica à sexta e à segunda. «Somos espectadores e não telespectadores», lê-se noutra tarja.
16'«Apaga a televisão, acende a tua paixão!», escreve a Mancha Negra numa tarja!
14'Agora é Rozário a cabecear por cima, também num canto,
9'Ricardo segura com facilidade o cabeceamento de Gegê depois de um canto da direita.
7'Jogo ainda muito confuso
4'Muito equilíbrio, para já
2'Este jogo marca a estreia da brazuca, a bola do próximo Mundial.
1'Começa o Académica - Marítimo
1'Começa o Académica - Marítimo
0'Termina o aquecimento, as equipas recolhem aos balneários
0'Este jogo arrisca-se a ser aquele que terá menos público esta época para o campeonato...
0'O árbitro da partida será Luís Ferreira, de Braga, auxiliado por Nuno Eiras e Pedro Fernandes. O quarto árbitro será Renato Mendes.
0'MARÍTIMO: Leoni; João Diogo, Márcio Rozário, Gêgê e Rúben Ferreira; Danilo Pereira; Alex Soares e Artur; Héldon, Derley e Sami.Suplentes: Wellington, Briguel, Igor Rossi, Marakis, Rúben Brígido, Theo Weeks e Fidélis.
0'ACADÉMICA: Ricardo; Marcelo, Capela, João Real e Djavan; Fernando Alexandre e Makelelé; Ivanildo, Cleyton e Abdi; Magique. Suplentes: Peiser, Reiner Ferreira, Nuno Piloto, Marcos Paulo, Marinho, Diogo Valente e Buval.
0'Já há equipas oficiais!
0'O Marítimo continua a ter dificuldades em equilibrar os golos sofridos (pior defesa da Liga) e marcados (quinto melhor ataque).
0'O Marítimo continua a ter dificuldades em equilibrar os golos sofridos (pior defesa da Liga) e marcados (quinto melhor ataque).
0'Equipas que pediram acreditação para este jogo: FC Porto, Sp. Braga, Benfica, V. Guimarães, Chievo, Ajax, Groningen, Montpellier e Celta de Vigo.
0'Noite amena em Coimbra, com cerca de 14 graus, e alguma neblina. Há muito pouco público...
0'Lista de convocados do Marítimo:Guarda-redes - Wellington e Leoni;Defesas - João Diogo, Márcio Rozário, Igor Rossi, Rúben Ferreira, Gêgê e Briguel;Médios - Marakis, Artur, Alex Soares, Danilo Pereira, Rúben Brígido e Theo Weeks;Avançados - Fidélis, Heldon, Sami e Derley.
0'O treinador do Marítimo, Pedro Martins, convocou 18 jogadores para esta partida. Em relação à última convocatória, que contou com 22 jogadores, o técnico insular fez sair João Luiz, a cumprir suspensão, e Luís Olim, Rodrigo Lindoso, Danilo Dias e Kukula por opção. Entrou apenas Sami, que regressa depois de ter cumprido um jogo de castigo.
0'Lista de convocados da Académica:Guarda-redes: Ricardo e Peiser;Defesas: Marcelo Goiano, Aníbal Capela, Ferreira, João Real e Djavan;Médios: Fernando Alexandre, Bruno China, Nuno Piloto, Marcos Paulo, Makelelé, Ogu e Cleyton;Avançados: Marinho, Magique, Abdi, Buval, Ivanildo e Diogo Valente.
0'Destaque ainda para Fernando Alexandre, Makelelé e Ivanildo, que foram chamados apesar de terem estado limitados ao longo da semana, pelo que Sérgio Conceição apenas decidirá pela inclusão destes jogadores no onze durante o aquecimento, após um derradeiro teste de esforço.
0'O avançado jogou pela última vez para o campeonato há quase três meses, na Madeira, e regressa curiosamente diante de outra equipa do arquipélago. Este regresso, que colmata a saída de Halliche, por castigo, é a única alteração nos eleitos.
0'Depois de uma longa ausência, que meteu até uma semanas de «trabalho específico» apartado do plantel, Buval está de regresso aos convocados da Académica, para esta partida.
0'Quem tem o plantel e as condições dos insulares, mais cedo ou mais tarde, tinha de dar a volta por cima.
0'Tudo começou a partir do jogo com a Oliveirense, para a Taça de Portugal, e, nos últimos quatro jogos, contam com três vitórias e um empate.
0'Já os verde-rubros, depois de baterem no fundo, com a quinta derrota consecutiva, e as inevitáveis nuvens negras a pairar sobre a cabeça de Pedro Martins, empreenderam a ansiada recuperação.
0'O embate com os maritimistas é, por isso mesmo, um teste importante para confirmar a solidez das raízes perante a ameaça de mais um vendaval.
0'O arranque da Académica para os bons resultados (duas vitórias consecutivas, diante de Olhanense e FC Porto) foi interrompido na semana passada pelo V. Setúbal de José Couceiro, mas as sementes parecem ter ficado na terra, e as melhorias são evidentes.
0'Quem ganhar pode dar um salto enorme na classificação, juntando-se, provisoriamente, a Nacional e V. Guimarães no sexto lugar da tabela.
0'Estudantes e madeirenses partilham o 11º lugar, com 14 pontos, e esta pode ser uma boa oportunidade para desempatarem.
0'Boa noite. Sejam bem-vindos ao Académica-Marítimo, jogo da 13ª jornada da Liga, para acompanhar, AO MINUTO, aqui, no MAISFUTEBOL. Fique ligado.

Outros 

Makelele tinha previsto o golo que marcou na abertura da 13ª jornada

«Ainda não marquei esta temporada, quem sabe se não acontece já esta sexta-feira?». E não é que marcou mesmo?

A frase é de Makelele, médio da Académica, que abriu o marcador no embate entre os estudantes e o Marítimo, na abertura da 13ª jornada. O médio brasileiro foi aliás o primeiro a marcar com a Brazuca, a bola que vai ser utilizada no Campeonato do Mundo e que também passa a ser a bola oficial da Liga a partir desta 13ª jornada.

Mancha negra


texto Maisfutebol
fotos Maisfutebol e Facebook AAC-OAF 

13 de dezembro de 2013

2013/2014 - 13J - Académica - Marítimo: Antevisão

O Momento

Académica:

O arranque, definitivo, para os bons resultados (duas vitórias consecutivas, diante de Olhanense e FC Porto) foi interrompido na semana passada pelo V. Setúbal de José Couceiro, mas as sementes parecem ter ficado na terra, e as melhorias são evidentes. O embate com os maritimistas é, por isso mesmo, um teste importante para confirmar a solidez das raízes perante a ameaça de mais um vendaval.

Marítimo:

Depois de bater no fundo, com a quinta derrota consecutiva, e as inevitáveis nuvens negras a pairar sobre a cabeça de Pedro Martins, os insulares empreenderam a ansiada recuperação a partir do jogo com a Oliveirense, para a Taça de Portugal, e somaram três vitórias e um empate nos últimos quatro jogos. Quem tem o plantel e as condições dos insulares, mais cedo ou mais tarde, tinha de dar a volta por cima. O equilíbrio entre golos sofridos (pior defesa da Liga) e marcados (quinto melhor ataque) é que continua complicado.

Ausências:

Académica:Fernando Alexandre, Makelelé e Ivanildo em dúvida; Halliche, castigado.

Marítimo: João Luiz, castigado.

Discurso direto:

Sérgio Conceição: «Será um jogo difícil. Como sabem, não ligo muito a estatísticas, mas, nos últimos 10 anos, o Marítimo veio cá ganhar por seis vezes, contra apenas três vitórias nossas, e um empate. É sinónimo de que encontramos dificuldades e que eles têm sempre boas equipas, lutam pela Europa, entre outras coisas.»

Pedro Martins: «Normalmente é um bom campo, temos sido felizes mas sabemos que não há jogos iguais. A Académica é uma equipa forte e tem condições para lutar pela Europa.»

Histórico de confrontos:

Os madeirenses são uma das mais recentes «bestas-negras» dos estudantes, pois já não perdem em Coimbra desde 22 de Fevereiro de 2009 e, mais espantoso ainda, venceram nas últimas quatro deslocações à cidade do Mondego. Nesse parcial, contam-se até goleadas como o infame 5-1 imposto há três épocas, nos últimos dias do consolado de Jorge Costa. E já temporada anterior os verde-rubros haviam vencido por 2-4. O total é, por isso, equilibrado, com nove triunfos da Briosa contra oito dos funchalenses, havendo ainda cinco empates.

Equipas prováveis:

ACADÉMICA:


MARÍTIMO:

2013/2014 - 13J - Académica - Marítimo: Convocados

A entrada do ponta-de-lança francês Buval e a saída do argelino Halliche, por castigo, são as únicas alterações nos eleitos de Sérgio Conceição para a receção ao Marítimo, tendo como termo como comparação o jogo da passada segunda-feira em Setúbal.

Fábio Santos, João Dias, Paulo Grilo, Manoel e Rafael Oliveira ficaram de fora por opção.

Eis a lista completa de convocados:
Guarda-redes:Peiser e Ricardo;
Defesas: Aníbal Capela, Djavan, João Real, Ferreira, Marcelo;
Médios: Makelele, Bruno China, Cleyton, Marcos Paulo, Nuno Piloto, Ogu, Fernando Alexandre;
Avançados: Marinho, Buval, Ivanildo, Abdi, Diogo Valente e Magique.

in abola

Académica vs Marítimo: Antevisão de Sérgio Conceição



in AAC-OAF

A Académica interrompeu a série vitoriosa com a derrota em Setúbal, num encontro que ficou atravessado na garganta do plantel e do treinador, por considerarem que o resultado não espelhou o que se passou na partida.

«Satisfeitos não podemos estar, porque não ganhamos, mas chegámos à conclusão de que podíamos ter saído com outro desfecho. Já passou, o importante agora é o jogo de amanhã, dar continuidade ao bom que temos feito, e melhorar outros aspetos», expressou esta quinta-feira Sérgio Conceição, no lançamento da partida com o Marítimo, um adversário que costuma dar-se bem Coimbra:

«Será um jogo difícil. Como sabem, não ligo muito a estatísticas, mas, nos últimos 10 anos, o Marítimo veio cá ganhar por seis vezes, contra apenas três vitórias nossas, e um empate. É sinónimo de que encontramos dificuldades e que eles têm sempre boas equipas, lutam pela Europa, entre outras coisas.»

Este é, de resto, um encontro que vale mais do que três pontos. «Temos ambos 14 pontos e será importante ganhar para nos distanciarmos da zona perigosa da tabela. Há consciência de que será difícil, mas também de que há muito a ganhar nesta partida», sintetizou, sem especificar se a Académica irá procurar assumir o jogo.

«Temos de saber interpretar os vários momentos da partida com inteligência. Haverá alturas em que estaremos em ataque organizado, outros a defender em bloco baixo. Ainda ontem vimos um Atlético que já não precisava do jogo e preferiu jogar com a fragilidade do Porto, que era a defesa subida. Bloco baixo não quer dizer que não se sabia jogar à bola!», lembrou.

«Também pode acontecer que o Marítimo, estrategicamente, queira dar-nos o controlo da partida para, depois, numa transição, conseguir criar mossa, e fazer golos. Temos de estar bem em todos os momentos, sermos inteligentes, ter uma reação rápida a perdas de bola, e profundidade ofensiva. Se atacarmos à maluca, depois também perdemos à maluca...», completou.

O técnico que, na semana anterior, desvalorizou o fato de jogar à segunda-feira e logo a seguir à sexta, viu-se desta vez forçado a infletir o discurso. «Depois de sair do jogo com três ou quatro lesionados, a verdade é que condiciona. Se tivesse mais um ou dois dias para recuperar, seria diferente», admitiu.

Para já, Fernando Alexandre parece o caso mais complicado, pois ainda não treinou esta semana, mas há esperança de que Makelelé e Ivanildo possam jogar de início.

in Maisfutebol

12 de dezembro de 2013

Académica vs Marítimo: Antevisão de Makelele

2013/2014 - 13J - Académica - Marítimo: Árbitro

Luís Ferreira foi nomeado para o Académica-Marítimo, da 13ª jornada da Liga, de acordo com o comunicado emitido esta quarta-feira pela Federação Portuguesa de Futebol.

in maisfutebol

«Queremos retomar o caminho das vitórias» - Makelele

Após o deslize (0-1) da passada segunda-feira em Setúbal, a Briosa está preparada para regressar aos triunfos. O Marítimo, adversário da próxima sexta-feira, não é uma equipa fácil, na opinião de Makelele, mas a Académica está preparada para enfrentar essas mesmas dificuldades para voltar a somar os três pontos:

- Vai ser um jogo difícil mas queremos retomar o caminho das vitórias. O adversário é o Marítimo mas podia ser outro qualquer. Queremos voltar a sentir a alegria das vitórias. Trata-se de uma boa equipa, que está muito bem treinada. Têm jogadores rápidos na frente, que podem aproveitar o contra ataque. Mas nós jogamos em casa e temos a obrigação de assumir o jogo. Faltam três jogos para terminar a primeira volta e vamos lutar para ganhar os três. O que mudou desde o início da época? No início fazíamos bons jogos mas não conseguíamos os melhores resultados. Agora estamos bem mentalmente, o grupo está alegre. Esperamos voltar a sentir o gosto da vitória.

O médio brasileiro, que não jogou frente aos sadinos, por lesão, afirma sentir-se agora muito melhor e espera poder estar em condições de dar o seu contributo à equipa diante dos insulares.

«Sinto-me melhor do que na segunda-feira. Vamos ver, estou a trabalhar para poder jogar na sexta-feira. A minha vontade de jogar é enorme. Marcar golos? Isso é a felicidade de qualquer jogador. Ainda não marquei esta época, quem sabe sexta-feira…», concluiu.

in abola

11 de dezembro de 2013

Tensão começou no relvado e terá chegado ao túnel do Bonfim

Num jogo de grande qualidade entre V. Setúbal e Académica acabou por cair uma nódoa nos últimos minutos. Após duas entradas demasiado impetuosas de Ney Santos, Halliche perdeu a cabeça e foi expulso por agressão ao brasileiro. 

Enquanto o árbitro mostrava o vermelho, os jogadores das duas equipas travaram ainda acesa discussão e quem andava nas imediações do túnel garante que os jogadores das duas equipas andavam com os nervos à flor da pele.

Alheio a tudo isto estava Ricardo Horta. O jovem sadino era um jogador radiante: «Foi uma grande estreia a marcar. José Couceiro tem as suas ideias, estamos a fazer o nosso trabalho e estamos a fazê-lo muito bem.» 

Sonhar com voos mais altos? Para já não: «O Vitória aposta muito na formação e todos os clubes portugueses devem fazê-lo. O Vezo teve a sorte de sair, mas eu só penso no Vitória. E é aqui que quero estar...» 

Ricardo, guarda-redes da Académica, falou de azar: «O jogo foi resolvido nos pormenores. Foi um encontro equilibrado, com oportunidades repartidas e o resultado mais justo era o empate. Tiveram tantas oportunidades como nós, mas a nossa equipa teve muito azar com as lesões.»

in ABOLA

Académica prepara Marítimo com quatro de fora

Fernando Alexandre, Ivanildo, Makelelé e Ogu estão, para já, em dúvida

A Académica começou esta terça-feira a preparar a receção ao Marítimo, na abertura da 13ª jornada da Liga, marcada para a próxima sexta-feira. O encontro com o V. Setúbal deixou algumas marcas no plantel e, para já, houve quatro jogadores que não participaram na sessão, segundo informa o clube.

Ainda de acordo com a mesma fonte, Fernando Alexandre, Ivanildo e John Ogu padecem todos de mialgias, enquanto Makelele, que se ressentiu minutos antes do início da partida, tem uma contratura no gémeo direito.

Destaque ainda para a utilização no treino da nova bola Brazuca, que irá ser estreada, justamente, em Coimbra.

in MAISFUTEBOL

10 de dezembro de 2013

2013/2014 - 12J - V. Setúbal 1 - Académica 0



nº espectadores: 1415

Crónica

O Vitória de Setúbal continua invicto sob o comando de José Couceiro, e com o triunfo sobre a Académica (1-0) dá um importante salto na tabela classificativa, colando-se ao Rio Ave, oitavo classificado.

A equipa sadina continua muito sólida defensivamente, como tem sido regra com o atual técnico, e depois não renega nenhum presente. Especialmente com o Natal a aproximar-se. Um perda de bola da Académica na defesa permitiu a Ricardo Horta apontar o tento do triunfo.


Frio equilíbrio

Ambas as equipas entraram em campo moralizadas, com o Vitória invicto sob o comando de José Couceiro e a Académica embalada pelo triunfo sobre o tricampeão FC Porto.

E Sérgio Conceição bem quis apresentar o mesmo «onze» no Bonfim, mas não foi possível. O nome de Makelele ainda apareceu na ficha de jogo como titular, mas o camisola 8 da Briosa ressentiu-se de lesão e cedeu o lugar a Marcos Paulo.

E foi este titular de última hora a protagonizar o primeiro remate do jogo, aos 3 minutos, mas sem grande perigo. O Vitória respondeu com um remate de Rafael Martins que surpreendeu Ricardo, uma vez que o guarda-redes da Académica defendeu com muita dificuldade.

Mas na verdade foi a equipa visitante que entrou melhor no jogo, mesmo com um futebol excessivamente direto, também por mérito do adversário, que por vezes forçou isso mesmo. Mas mostrando-se mais forte nas denominadas segundas bolas, à entrada da área, a Académica foi mais ofensiva na fase inicial do jogo. Logo aos nove minutos Magique apareceu solto ao primeiro poste, a cabecear, mas a bola saiu à figura de Kieszek.

O guarda-redes sadino teve de aplicar-se um pouco mais logo a seguir, perante um remate colocado de Cleyton, defendido junto ao poste (10m).

Nos últimos dez/quinze minutos da primeira parte é que Vitória teve mais bola e chegou à baliza de Ricardo com outra regularidade, mas Rafael Martins e Cardozo não conseguiram desviar um belo cruzamento de Miguel Pedro, ao minuto 41, e mesmo à beira do descanso Cardozo cabeceou para defesa de Ricardo, após cruzamento de Rafael Martins.

No aproveitar é que está o ganho

O início da segunda parte não foi fácil para Sérgio Conceição, que se viu obrigado a substituir Fernando Alexandre e Ivanildo por lesão. Por consequência o jogo teve muitas paragens neste período, pelo que foi preciso esperar pelo minuto 70 para assistir a uma ocasião de golo.

E que ocasião, diga-se!! Ramon Cardozo apareceu solto na área, tirou Halliche da frente e depois rematou de pé esquerdo, mas Ricardo evitou o golo sadino com uma espantosa defesa.

Quatro minutos depois o guarda-redes da Académica voltou a defender um remate de Cardozo, mas a bola ressaltou para trás e Ricardo Horta aproveitou para marcar. Um tento que nasce de um erro da Briosa, que perdeu a bola em zona recuada, depois de um passo do lado esquerdo para um dos centrais, no caso Aníbal Capela.

A Académica ainda tentou o empate, mas nem sequer conseguiu criar numa ocasião clara para o alcançar. E já em período de descontos ainda perdeu Halliche, expulso por empurrão a Ney.

Opiniões

José Couceiro, treinador do Vitória de Setúbal, em declarações à SportTV

«É o nosso nono jogo sem perder. Foi um jogo que teve fases distintas. Tivemos mais oportunidades de golo. A Académica joga bem, tem bons jogadores, num determinado período tivemos alguma dificuldade. Na segunda parte fomos melhor equipa. Na parte final devíamos ter ficado mais com a bola, com mais uma ou duas transições poderíamos ter resolvido antes do apito final. Um empate também não seria de estranhar. São equipas com valores semelhantes. Esta é uma época complicada, há questões estruturais que têm de ser resolvidas e vão ser resolvidas. Sabemos o esforço que está a ser feito para que este clube histórico consiga voltar a erguer-se. O objetivo é ficar na Liga».

Conferência de imprensa:
«Tivemos alguma dificuldade na parte inicial. A Académica é muito interessante ofensivamente. Por mérito deles fomos obrigados a baixar um pouco, até conseguir equilibrar. No final da primeira parte já estávamos por cima. Mesmo na primeira parte tivemos mais oportunidades.O domínio da Académica foi territorial. Na segunda parte melhorámos consideravelmente. O Vitória jogou melhor, conseguiu fazer o golo, e nesta parte final, com um pouco mais de calma...O domínio da Académica não trouxe nenhuma situação de perigo. Se o jogo tivesse terminado empatado não me surpreendia. As equipas têm valores semelhantes, mas pelo que fizemos na 2ª parte, e fomos a equipa que mais procurou o golo, penso que acabamos por ser justos vencedores. A Académica jogou no nosso erro, pois é forte nas transições.»

[os objetivos podem ser redefinidos?] «Sabemos a situação do Vitória, que é muito complicada. Tem de se reestruturar financeiramente. Essa é a maior preocupação, e para isso precisa das receitas da Liga. Não devemos olhar para outros objetivos. Ganhámos dois pontos à primeira equipa em zona de descida. Só em abril é que podemos estar descansados ou não. O Vitória tem passado por situações difíceis até final.»

[sente-se um salvador do Vitória?] «O futebol é um jogo de equipa. Só conseguimos resultados se o conjunto funcionar. O maior mérito é dos jogadores, eles é que jogam. As maiores estrelas do jogo são os jogadores. Nenhum treinador altera o que quer que seja sem qualidade e empenho dos jogadores. Sabemos que a equipa melhorou, passou a sofrer menos golos, a ser mais compacta, a defender melhor.Mas não estamos aqui para bater recordes. Um dia vamos perder, e devemos ter a capacidade de reagir na adversidade. Sinto-me muito bem aqui, no clube e na cidade. Sempre fui bem tratado, é também uma questão de empatia. Gosto de estar em Portugal também. Mas não há nenhum favor. O Vitória não me deve nada e eu não devo nada ao Vitória. É uma relação profissional.»

[sobre a meta dos 18 pontos, estipulada para o final da 1ª volta] «Foi o objetivo que estipulámos internamente, e que eu tornei público. Continua a ser o nosso objetivo. É possível concretizar. Se o Vitória fizer um ponto por jornada, em média, consegue os objetivos. Quando estipulei os 18 pontos foi para ter uma pequena almofada. Na primeira volta do ano passado fizemos 14 pontos e na segunda 12. Neste momento temos 16. Temos sete pontos de vantagerm sobre o 15º. Dá alguma tranquilidade mas não resolve nada. A postura tem de ser a mesma. O nosso maior objetivo é ajudar o Vitória a reequilibrar-se. Não queremos que o Vitória esteja em crise, sem soluções futuras. A época vai ser de sofrimento. Vai ser preciso paciência. Não podemos pensar que os objetivos vão ser outros nem embandeirar em arco. Temos de ser realistas.»

Sérgio Conceição, treinador da Académica

À Sporttv:
«A primeira parte foi da Académica, merecíamos a vantagem. O Vitória só chegou com lançamentos laterais. Cresceu na segunda parte, mas só há uma situação do Cardozo, além do nosso erro no golo. Makelele lesionou-se antes do jogo, Fernando Alexandre também, ainda tivemos mais problemas físicos. Hoje foi mais infelicidade do que outra coisa. Temos uma equipa competitiva, capaz de discutir o resultado em qualquer campo. Temos de recuperar os jogadores para sexta-feira. Borrego? Vamos conseguir ganhar três jogos consecutivos de certeza, vamos ter oportunidades de o fazer esta época».

Conferência de imprensa:
«Foi um jogo muito disputado, equilibrado. Na primeira parte fomos claramente superiores. O Vitória só chegou à nossa área de lançamento lateral. Se fossemos para o intervalo em vantagem dizia mais a verdade da primeira parte. O Vitória entrou melhor na 2ª parte, a jogar em casa e moralizado pelos últimos resultados. Perdemos dois jogadores por lesão, e um erro tirou-nos o empate, no mínimo, que seria o mais justo.»

[sobre as substituições de Fernando Alexandre e Ivanildo, por lesão] «Já no aquecimento ficámos sem o Makelele. É normal que a equipa ressinta. Tenho total confiança no Bruno China, mas é normal, a equipa estava bem no jogo, estava organizada. Nesse momento temos de dar outro tipo de resposta. Não foi pela substituição que sofremos o golo. Era um lance praticamente inofensivo. Mas temos um bom grupo, um bom espírito, e não é esta derrota que vai desmoralizar. Estes jogadores têm vontade de se superar, de fazer melhor.»

[sobre a expulsão] «Achei completamente exagerada. Depois dizem que sou antipático para os árbitros. Toda a gente conhece o Ney. Não vale a pena dizer mais nada. Não valia a pena aquela expulsão.»

Destaques

A figura: Ricardo Horta
O primeiro golo na Liga, a garantir três pontos muito importantes para o Vitória. O jovem avançado estava no sítio certo à hora exata para aproveitar o ressalto de bola após uma defesa de Ricardo a remate de Cardozo e marcar o golo decisivo. Já antes tinha servido Cardozo para uma grande ocasião de golo, negada por Ricardo.

O momento: minuto 74
O jogo estava tão equilibrado quanto fraco, e nenhuma equipa parecia capaz de marcar, mas uma perda de bola da Académica em zona recuada permitiu ao Vitória chegar ao golo. Ricardo ainda defendeu o remate de Cardozo mas a bola ressaltou para trás e Horta aproveitou para marcar.

Outros destaques:

Rafael Martins
Foi o protagonista do primeiro remate sadino, que quase surpreendia Ricardo, e revelou-se sempre muito mexido. Aos 41 minutos falhou por pouco um desvio à boca da baliza, mas no lance do golo é dele o passe a isolar Cardozo.

Cardozo
Algo apagado na primeira parte, «Tacuarita» esteve em destaque na segunda parte. Em duas ocasiões viu Ricardo negar-lhe o golo, mas na segunda acabou mesmo a festejar o tento de Horta.

Ricardo
Duas belas intervenções a negar o golo o Cardozo, ainda que a segunda não tenha sido suficiente para evitar o tento de Ricardo Horta, na recarga. Em todo o caso mais uma exibição sólida do guarda-redes da Académica.

Aníbal Capela e Halliche
Não foi uma boa noite para os centrais da Académica. Aníbal Capela perdeu a bola no lance do golo do Vitória e Halliche foi expulso já em período de descontos, por empurrão a Ney.

Ao minuto 

90'Muita garra dos sadinos.
90'FIM DO Vitória Setúbal, (1) - Académica, (0)
90'Agora agarra Ricardo.
90'Falta sobre Cohene.
90'Bola longa, segura Kieszek
90'Cartão amarelo para Ney Santos
90'Halliche projetou Ney Santos para o chão!!!
90'Cartão vermelho para R. Halliche
90'Mais quatro minutos.
90'Remate de Abdi, defende Kieszek.
90'Diogo Rosado tenta enganar o árbitro.
88'Posse de bola repartida.
88'Ogu cabeceia na área, salva Dani.
86'Baixaram muito os sadinos.
85'Defende o Vitória.
85'Cardozo é mesmo um belo jogador.
84'Cleyton marca, mas Halliche faz falta no ataque
83'Livre para a Académica.
82'Entra Ney Santos do Vitória Setúbal
82'Sai Ricardo Horta do Vitória Setúbal
81'Grande corte de Pedro Queirós!
80'Sai Marcos Paulo do Académica
80'Entra J. Ogu do Académica
80'Canto para o Vitória.
79'A Académica reagiu muito bem ao golo sadino, embora ainda sem criar perigo.
78'Marcos Paulo caído no relvado.
77'Diogo Rosado cede canto.
77'Falta de Rafael Martins. Pode ser perigosa.
76'No início do lance, má intervenção de Aníbal Capela.
75'Cardozo isolou-se sobre a esquerda, o paraguaio rematou, Ricardo defendeu mas a bola sobrou para Ricardo Horta que na pequena área só teve de encostar para a baliza vazia.
74'GOOOOOOOOOOOOOOOOOLO de Ricardo Horta
73'Bruno Sabino entrou bem.
72'O Vitória está melhor.
70'21 faltas até agora
70'Cardozo trabalha bem sobre a direita, na área, mas Ricardo faz grande defesa!!!
69'Jogo confuso...
67'Entra Bruno Sabino do Vitória Setúbal
67'Sai Miguel Pedro do Vitória Setúbal
67'Cardozo cai na área e pede penalty, mas o árbitro nada assinala. O contacto físico com Marcelo parece natural e insuficiente para um penálti
64'Remate torto de Magique
61'Mais uma substituição forçada na Académica. Ivanildo apresentou problemas físicos.
60'Entra Diogo Rosado do Vitória Setúbal
60'Sai Pedro Tiba do Vitória Setúbal
60'Entra Marinho do Académica
60'Sai Ivanildo do Académica
57'Bruno China era para ter ido para a bancada, mas com a lesão de Makelele passou a suplente e agora entra para o lugar do lesionado Fernando Alexandre
57'Entra Bruno China do Académica
57'Sai Fernando Alexandre do Académica
46'Recomeça o Vitória Setúbal - Académica
45'Intervalo no Vitória Setúbal - Académica
45'Marcos Paulo atira contra a barreira, de livre direto
45'CARDOZO CABECEIA PARA DEFESA DE RICARDO, APÓS CRUZAMENTO DE RAFAEL MARTINS
41'O VITÓRIA QUASE MARCAVA!! Bom cruzamento de Miguel Pedro mas Rafael Martins e Horta não conseguem o desvio à boca da baliza
35'Remate de Miguel Pedro desvia em Djavan e Ricardo agarra à segunda, com Horta por perto
29'Cartão amarelo para Pedro Tiba
29'Cartão amarelo para G. Magique
19'Ivanildo remata de fora da área, mas sai por cima da barra
10'Nova defesa de Kieszek, agora mais difícil, a remate de Cleyton junto ao poste
9'DEFENDE KIESZEK!! Cruzamento da esquerda e Magique a cabecear ao primeiro poste, mas à figura do guarda-redes sadino
7'Cartão amarelo para Miguel Pedro
5'Remate de Rafael Martins a surpreender Ricardo, que defende, mas com dificuldade. Por pouco era um frango. A bola saiu pouco ao lado.
1'Começa o Vitória Setúbal - Académica
0'Um minuto de aplausos em memória de Nelson Mandela, ainda antes do apito inicial
0'Informação de última hora: Makelele ressentiu-se da lesão e não joga. Marcos Paulo entra para o onze e Bruno China para o banco
0'Aquecimento terminado! O jogo começa dentro de dez minutos
0'Sérgio Conceição não muda a equipa que derrotou o FC Porto. Makelele estava em dúvida, mas joga mesmo de início.
0'Couceiro faz duas alterações em relação à equipa que empatou na Choupana: Vezo, que cumpriu castigo, volta a atirar Venâncio para o banco, enquanto que Bruno Sabino perde a titularidade para Ricardo Horta, embora tenha marcado um golo na Madeira
0'Suplentes da Académica: Peiser, Marinho, João Real, Marcos Paulo, Diogo Valente, Ogu e Ferreira
0'Suplentes do Vitória: Servín, Venâncio, Coronas, Kiko, Diogo Rosado, Ney Santos, Bruno Sabino
0'ACADÉMICA: Ricardo; Marcelo, Anibal Capela, Halliche, Djavan; Makelele, Fernando Alexandre, Cleyton; Ivanildo, Magique e Abdi
0'VITÓRIA: Kieszek; Pedro Queirós, Vezo, Cohene, Nélson Pedroso; Dani, Pedro Tiba e Miguel Pedro; Rafael Martins, Cardozo e Ricardo Horta
0'JÁ HÁ EQUIPAS OFICIAIS...
0'Agora surgem no relvado os jogadores de campo do Vitória, para os primeiros aplausos da noite. Neste caso aquecem só os titulares
0'A equipa de arbitragem, chefiada por Manuel Mota, também em aquecimento
0'Todos os jogadores da Académica em aquecimento. Mesmo aqueles que vão começar o jogo no banco.
0'Os jogadores de campo da Académica entram agora para aquecimento
0'Ambas as equipas atravessam um bom momento. O Vitória ainda não perdeu com José Couceiro e a Académica derrotou o tricampeão FC Porto na ronda anterior.
0'Académica e V. Setúbal estão separados por um ponto, com vantagem para a formação de Coimbra. Se o Vitória somar três pontos iguala o Rio Ave na oitava posição. A Académica pode igualar Nacional e Vitória de Guimarães, que ocupam a sexta e sétima posição, respetivamente.
0'Os guarda-redes de ambas as equipas já estão em aquecinento. E bem precisam, que a noite está muito fria!
0'Boa noite! Vitória de Setúbal e Académica encerram a jornada no Bonfim, a partir das 20h15, e o MAISFUTEBOL conta-lhe tudo AO MINUTO! Fique ligado!


Outros 

Halliche expulso com vermelho directo vai pelo menos falhar o jogo frente ao Marítimo.

9 de dezembro de 2013

O momento:

V. SETÚBAL: a equipa sadina ainda não averbou qualquer derrota desde que José Couceiro sucedeu a José Mota no comando técnico. Em quatro jogos na Liga somou duas vitórias e dois empates. O Vitória está, por isso, naturalmente moralizado, e em caso de triunfo não só ultrapassa a Académica como se posiciona a meio da tabela.

ACADÉMICA: a equipa orientada por Sérgio Conceição surge neste jogo também com o moral em alta, por força de dois triunfos consecutivos na Liga. Primeiro em Olhão e depois na receção ao tricampeão FC Porto, que afastou assim da liderança do campeonato. Com um ponto de vantagem sobre os sadinos, a Briosa também pensa em chegar a meio da tabela.

Ausências:

V. SETÚBAL: Paulo Tavares e Tiago Terroso estão lesionados

ACADÉMICA: Makelele foi convocado mas está em dúvida

Discurso direto:

JOSÉ COUCEIRO: «A Académica tem qualidade, mas nós também a temos. O moral é igual para as duas equipas. Também estamos a ter bons resultados.»

SÉRGIO CONCEIÇÃO: «Sabemos que ainda não perderam com José Couceiro. Além de continuar com a agressividade e pragmatismo do Mota, penso que passou a ter uma melhor organização defensiva. Isso vê-se neste aspeto: em 19 golos sofridos, 17 foram com o técnico anterior, e apenas dois com o atual. Mas é uma equipa que precisa naturalmente de ganhar, por isso vamos encontrar dificuldades em vários momentos, e, noutros, estaremos por cima. Aí teremos de ter a consciência de saber aproveitar para desequilibrar o adversário e tentar marcar.»

Histórico de confrontos:
O Vitória já recebeu a Académica em 51 ocasiões, para o principal escalão do futebol português. A equipa sadina venceu 32 vezes, contra apenas 11 da formação de Coimbra. Empates foram oito. Refira-se, no entanto, que nas últimas quatro visitas ao Bonfim a Académica não perdeu.

Equipas prováveis:

Outros convocados: Cérvin, Frederico Venâncio, Kiko, Ney, Diogo Rosado, Pedro Coronas, Bruninho, Ricardo Horta
Outros convocados: Peiser, Ferreira, João Real, Bruno China, Nuno Piloto, Marcos Paulo, Ogu, Marinho e Diogo Valente

8 de dezembro de 2013

2013/2014 - 12J - V Setúbal - Académica: Convocados

O treinador da Académica, Sérgio Conceição, divulgou este domingo a lista de convocados para o jogo frente ao Vit. Setúbal.

O embate diante os sadinos conta para a 12ª jornada da Liga ZON Sagres e será disputado esta segunda-feira, pelas 20:15, no Estádio do Bonfim.


Consulte os nomes que vão a jogo frente ao Vit. Setúbal. A lista contempla 20 jogadores:

Guarda-redes: 1- Peiser; 12- Ricardo

Defesas: 3- Aníbal Capela; 5- Halliche; 6- Djavan; 13- João Real; 35- Ferreira; 87- Marcelo

Médios: 8- Makelele; 14- Bruno China; 20- Cleyton; 21- Marcos Paulo; 28- Nuno Piloto; 30- Ogu; 65- Fernando Alexandre

Avançados: 7- Marinho; 10- Ivanildo; 17- Abdi; 23- Diogo Valente; 99- Magique

in AAC-OAF

2013/2014 - 12J - Vit. Setúbal vs Académica: Antevisão de Halliche



in AAC-OAF

2013/2014 - 12J - Vit. Setúbal vs Académica: Antevisão de Sérgio Conceição




«Borrego ou borregão, o importante é ganhar»

A Académica pode conseguir esta segunda-feira um feito que já não alcança há quase 28 anos na divisão principal: três vitórias consecutivas. A equipa de Sérgio Conceição atravessa a melhor fase da época e o jovem técnico quer potenciá-la ao máximo, aproveitado o embalo do histórico triunfo sobre o F.C. Porto. 

«Essa vitória foi boa e funcionou para a confiança dos jogadores e espírito de grupo. Agora é dar continuidade. Foi importante também para a equipa ter consciência de que pode ombrear com qualquer adversário do campeonato», começou por dizer este domingo Sérgio Conceição, na antevisão à partida. 

«Depois, se vamos matar um borrego ou um borregão, não é importante para mim. Importante é ganhar. O mais difícil não é fazer esses resultados, mas sim dar-lhes continuidade. Às vezes, em Coimbra, há tendência para relaxar, espero que não aconteça», rematou, antes de lançar um olhar sobre o Vitória sadino: 

«Sabemos que ainda não perdeu com José Couceiro. Além de continuar com a agressividade e pragmatismo do Mota, penso que passou a ter uma melhor organização defensiva. Isso vê-se neste aspeto: em 19 golos sofridos, 17 foram com o técnico anterior, e apenas dois com o atual.»

«Mas é uma equipa que precisa naturalmente de ganhar, por isso vamos encontrar dificuldades em vários momentos, e, noutros, estaremos por cima. Aí teremos de ter a consciência de saber aproveitar para desequilibrar o adversário e tentar marcar.»

O técnico revelou ainda que não sabe se poderá utilizar Makelele, Abdi e Djavan, jogadores que estiveram condicionados ao longo da semana, apesar de estarem todos convocados. 

video AAC-OAF
texto Maisfutebol

7 de dezembro de 2013

Assembleia Geral da AAC/OAF no dia 16 de Dezembro

A Assembleia Geral de Associados da Associação Académica de Coimbra/Organismo Autónomo de Futebol realiza-se no próximo dia 16 de Dezembro de 2013, uma segunda-feira.

Consulte todas as informações relativas à AG do clube aqui.

in AAC-OAF